Review e comparações: O exterminador do futuro – Gênesis

O-Exterminador-do-Futuro-Gênesis-201s51Ficha técnica

Título: O exterminador do futuro: Gênesis (Terminator Genisys)
Elenco: Aaron V. Williamson, Arnold Schwarzenegger, Brett Azar, Byung-hun Lee, Christopher Heskey, Courtney B. Vance, Douglas Smith, Emilia Clarke, J.K. Simmons, Jai Courtney, Jason Clarke, Matt Smith, Michael Gladis, Nolan Gross, Sandrine Holt Produção: Dana Goldberg, David Ellison
Lançamento: 2015
Gênero: ação, aventura, ficção científica
Classificação: 12 anos

Se ainda não viu o trailer, veja aqui!
 

Sinopse

Quando John Connor (Jason Clarke), líder da resistência humana, envia o Sargento Kyle Reese (Jai Courtney) de volta para 1984 para proteger Sarah Connor (Emilia Clarke) pra manter o futuro intacto, uma mudança inesperada nos acontecimentos cria uma nova linha do tempo. Agora, o Sargento Reese se encontra em uma nova e desconhecida versão do passado, onde ele encontra aliados improváveis, incluindo o Guardião (Arnold Schwarzenegger), novos e perigosos inimigos e uma missão nova e inesperada: redefinir o futuro.


Vi o lançamento na sexta feira e aproveitei para rever o primeiro filme no sábado, já que não lembrava de mais quase nada. No início do filme novo fiquei pensando que ele era um reboot, em função das inúmeras semelhanças com o filme original. Infelizmente não consigo falar das diferenças entre os filmes sem dar SPOILERS, então se for prosseguir a leitura, esteja avisado.

Enredo

Os filmes começam da mesma forma, mostrando um mundo devastado e controlado pelas máquinas. Obviamente, detalhados de acordo com a qualidade dos efeitos audiovisuais de cada época. Conhecemos John Connor, a resistência e seus planos para acabar com a Skynet. Quando esses planos são colocados em ação a Skynet está próxima de ser derrotada, um exterminador é mandado de volta ao passado para o ano de 1984 para matar a mãe de John, Sarah Connor e impedir que ele nasça e que seja o líder da resistência.

Kyle Reese se voluntaria para voltar ao passado e salvar Sarah e aqui temos a primeira diferença: enquanto Reese está nu lá na máquina levando uns choques, vemos o Doctor Who (Matt Smith) encoxar e pegar John. Não sabemos nesse momento se ele o mata. Mas descobrimos depois que nessa brincadeira, Kyle recebe novas memórias sobre sua infância de eventos ocorridos em 2017. Então, todas as semelhanças retornam: Kyle é cuspido num beco suspeito, rouba as calças de um mendigo e é perseguido por um policial. Opa, espera, no filme de agora tem uma diferença: o policial perseguindo Kyle é na verdade um ciborgue T-1000 que assume quaisquer formas que desejar. Reese está correndo pela loja de departamento, casualmente roubando roupas enquanto foge de um ciborgue assassino e temos uma releitura daquela fatídica cena dele no provador calçando o tênis da Nike:

 

nike1984

1984

nike2015o

2015

Curiosidade: A figurinista Susan Matheson encontrou problemas ao procurar novos tênis Nike Vandal que Kyle Reese usa na sequência de 1984. Ela encontrou apenas tênis de segunda mão e gastos para venda. Durante meses, Susan entrou em contato com a Nike, pedindo-lhes a fabricação do modelo específico, mas a empresa queria que ela projetasse uma nova identidade com uma base Air-Force. Foi somente após a intervenção da Paramount, que a Nike concordou em fabricar 25 pares de Vandals exclusivamente para este filme.

Então Kyle continua correndo e aqui vemos a bifurcação principal das duas histórias: em 1984 ele foge do policial na loja e dá sequência a sua busca pela Sarah. Em 2015 Sarah vai ao seu encontro, invadindo a loja com um carro forte e o resgatando. No 5º filme descobrimos que o passado já havia sido alterado: Sarah reprogramou o exterminador enviado para mata-la em 1984 e o enviou para um passado anterior a este – para quando a garota tinha 9 anos, e desde então o T-800 (Pops) vem protegendo-a.

Além de ter protegido Sarah por todos esses anos, os dois construíram uma máquina para viajar no tempo até 1997 quando a Skynet se torna autossuficiente e impedir que isso aconteça. Porém a máquina precisaria de uma CPU mais avançada, que conseguiram quando mataram o T-1000 que Kyle atraiu. Resumindo: Sarah e Pops usaram Reese de isca! Entretanto Kyle se recusa e diz que ir para 2017 seria um plano melhor, devido às visões que recebeu de sua infância, pois, uma vez que o futuro havia sido alterado, eles poderiam impedir a Skynet em 2017.

O plano seria levar Pops junto, porém ele se “machucou” na briga com o T-1000 e diz que tomará o caminho mais longo, envelhecendo até 2017. Então, Sarah e Kyle entram juntos, nus, na máquina e são enviados para o futuro. Não vou me aprofundar mais na história se não contarei tudo e acabarei com o plot twist e a graça do filme.

Personagens

Kyle Reese

Sou suspeita para comparar os personagens, pois não curto muito filmes antigos (me julguem!). Sinto que o personagem do Kyle Reese foi um dos que mais melhorou: e escolha do Jai foi um tremendo acerto e ele soube interpretar o soldado muito bem. Em 1984, o personagem era durão, com uma expressão constante de sofrimento, magrelo e, francamente, um ator que o interpretava não era muito bom. Já o Reese de 2015 é um pouco mais indefeso, consegue transparecer mais de uma emoção, possui um corpo mais largo e arrisco concluir que o ator interpretou de forma impecável seu papel.

collagesdsds2Sarah Connor

Primeira coisa que me incomoda na Sarah original é esse cabelo, e sim eu sei que era moda na época, bla blá blá, cultura e tals, mas que corte horrível, SÉRIO. Em contrapartida, a atriz que interpretou a protagonista fez um trabalho bem melhor e a personagem estava crível. Quanto à personagem de 1984: super medrosa, totalmente dependente de Kyle e um tanto incrédula. Em 2015: ela é corajosa, independente e um tanto teimosa. Ao contrário do primeiro filme, Sarah é quem está constantemente salvando a vida de Reese. Graças a ela é que o passado foi alterado e agora os dois tem o Pops ao seu lado. Sarah não é mais ingênua e indefesa e sua personalidade foi um dos pontos fortes da história.

terminator2Exterminador
Pops é quem dá toda a graça do filme, sendo sua falta de habilidade para diálogos e situações sociais ou pelo reuso daquelas frases antigas dos primeiro e segundo filme que tornaram a franquia famosa. Seu único objetivo de vida é proteger a Sarah e ele fará tudo o que for necessário para isso. No primeiro filme o exterminador não tinha nenhuma intenção amigável com a protagonista e sua missão era de executá-la. A diferença de 31 anos está visível na aparência de Arnold Schachnegger e os produtores souberam utilizar isso a seu favor: introduziram na história uma pele sintética, para ajudar na infiltração dos ciborgue entre os humanos. Essa pele sangra e acima de tudo envelhece. Em sua forma final em 2017, Arnold não está usando maquiagem para parecer mais velho e seus cabelos também não foram tingidos.

connnnorJohn Connor
Não sei o quanto posso revelar de comparação entre o John dos dois filmes sem revelar spoilers (mas também nada a mais do que o trailer já revelou né?). Posso dizer que ele no filme atual está bem mais presente e tem uma personalidade difícil de passar despercebida. No primeiro filme ele só aparece no início, comandando a revolução e mandando o Kyle para o passado e francamente fica bem apagadinho. Já em 2015, o personagem é bem mais presente e apresenta um senso de humor um pouco sarcástico.

Produção

Os efeitos visuais do filme desse ano estão excelentes, mas de certa forma, não é justo comparar os efeitos de um filme da década de 80 com de hoje em dia. Porém, quando re-assisti o primeiro filme esses dias fiquei pensando que para os recursos da época, o primeiro filme cumpriu seu papel: na falta de computação gráfica vai maquete mesmo. Eu, particularmente, não gosto de filmes antigos, por todos esses motivos que já citei, mas aceito que fizeram diferença quando foram lançados.

Curiosidades

– Por Arnold Schwarzenegger não ser mais tão novo assim, foi decidido que, em vez de usarem computação gráfica para fazê-lo parecer trinta anos mais jovem, o roteiro deveria destacar que o tecido humano do qual o Exterminador é revestido envelhece como qualquer outro ser vivo, dando-lhe a aparência de mais velho.
– O corpo jovem do Arnold no filme é fornecido pelo ator e dublê corporal Brett Azar que ganhou o papel depois de uma audição aberta à procura de alguém que coincidisse com o físico de Schwarzenegger no primeiro Exterminador.
– Gênesis é o primeiro filme de Arnold Schwarzenegger como O Exterminador do Futuro em doze anos, desde O Exterminador do Futuro 3. No filme anterior, de 2009 ele foi substituído por uma versão digital de computação gráfica.
– Schwarzenegger não tingiu seu cabelo para o filme. Ele exibiu os naturais fios grisalhos.
– Emilia Clarke, Brie Larson e Margot Robbie fizeram audições para o papel de Sarah Connor.
– A música apresentada no trailer é “I’d Love to Change the World”, de Jetta.
– No segundo trailer, quando o Exterminador encontra Kyle Reese ele diz: “Prazer em conhecê-lo!” e faz um sorriso engraçado. A cena foi escrita para “O Exterminador do Futuro 2”, que foi deletada, onde John o ensina a sorrir para que a máquina aparente mais humanidade e misture-se. O rôbo imita um homem ao telefone, mas o sorriso é imperfeito e pervertido, e John insiste que ele pratique em um espelho. Esta cena pode ser encontrada ao no Blu-Ray de O Exterminador do Futuro 2 – O Julgamento Final Edição Skynet.

E você, já assistiu o filme? Pretende assistir? Conta pra gente!

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *