Resenha: Red Hill, Jamie McGuire

jm1 
Título: Red Hill
Título original: Red Hill
Autora: Jamie McGuire
Editora: Grupo Editorial Record (Verus)
Páginas: 350
Lançamento: 2013
Nota: ★★★★☆

Leia um trecho aqui.
 

Sinopse

Para Scarlet, cuidar de suas duas filhas sozinha significa que lutar pelo amanhã é uma batalha diária. Nathan tem uma mulher, mas não se lembra o que é estar apaixonado; a única coisa que faz a volta para casa valer a pena é sua filha Zoe. A maior preocupação de Miranda é saber se seu carro tem espaço suficiente para sua irmã e seus amigos irem viajar no fim de semana, escapando das provas finais da faculdade.
Quando a notícia de uma epidemia mortal se espalha, essas pessoas comuns se deparam com situações extraordinárias e, de repente, seus destinos se misturam. Percebendo que não conseguiriam fugir do perigo, Scarlet, Nathan, e Miranda procuram desesperadamente por abrigo no mesmo rancho isolado, o Red Hill. Emoções estão a flor da pele quando novos e velhos relacionamentos são testados diante do terrível inimigo – um inimigo que já não se lembra mais o que é ser humano.

Enredo e personagens

A narração se divide em três núcleos distintos: temos os pontos de vista de Scarlet, de Miranda e de Nathan intercalados e a princípio podemos não entender a escolha da autora de evidenciar esses personagens e muito menos como poderiam se conectar, mas isso não diminui em nada o interesse na trama. Toda a narrativa, embora feita por narradores diferentes, é feita em primeira pessoa.

No prefácio temos Scarlet deixando suas duas filhas em suas respectivas escolas e partindo para iniciar seu turno de técnica de enfermagem no hospital que trabalha. No rádio ela ouve um noticiário sobre o espalhamento de um vírus pelo país, porém não dá muita atenção, pois está preocupada com o fato de suas filhas passarem o final de semana longe, junto com o pai, Andrew, do qual Scarlet é divorciada.

Todos fingíamos que as coisas melhorariam, mas a verdade não dita é sempre mais sonora que as histórias que contamos.

A) Scarlet:

a protagonista tem duas filhas: Halle e Jenna e cuida das meninas sozinha desde que se separou do marido Andrew. Após o divórcio ela não teve apoio nem de sua família nem da dele, embora todos soubessem que o casamento deles fosse infeliz. Scarlet trabalha em um hospital em sua cidade e conseguiu se formar e estabelecer limpando casas, dentre elas o rancho Red Hill do dr. Hayes, seu amigo e companheiro de trabalho.

Scarlet e suas filhas sempre se prepararam hipoteticamente para o caso de um apocalipse zumbi, fosse planejando como se manter ou onde procurar abrigo e a melhor opção para esse último tópico sempre foi o rancho Red Hill, pela localização complicada, dificultando o acesso de pessoas que não o conheciam.

É fácil esquecer que a nossa vida de antes não era um sonho. Isso aqui não é a realidade, como a gente devia viver, nem quem somos. As pessoas que éramos sete dias atrás…

A protagonista está trabalhando no hospital quando vários casos começam a aparecer por lá: a principio são somente pacientes que chegaram bem fracos, abatidos e subnutridos, com sintomas de uma virose muito forte nunca antes vista e aparentemente sem cura. Uma em especial, Dana, ficou sob os cuidados de Scarlet desde que chegou ao hospital e começou a apresentar os sintomas desde que foi mordida por um bêbado em uma festa. Dana é uma personagem chave e embora não seja principal, voltamos a ler sobre ela no desenrolar da história.

Com o final do seu período de expediente, Scarlet só quer buscar suas filhas com o marido e ir o mais rápido possível para o rancho até que a situação melhore. A jornada da protagonista em específico é encontrar suas filhas e as manter em segurança nesse local, mas muita coisa acontece desde então e Scarlet é constantemente desviada de seu objetivo.

Todos pareciam sufocados. Estávamos sobrevivendo, mas, a cada dia, parecíamos viver cada vez menos.

B) Miranda:

a personagem acabou de comprar um carro e está usando-o para fazer uma viagem com um grupo de amigos, incluindo sua irmã Ashley e estão todos presos em um congestionamento quando o surto os alcança. Divididos entre qual local devem seguir: se voltar para se juntarem aos seus entes queridos ou irem para um local mais afastado, acabam por decidir ir para o rancho de seu pai, Dr. Hayes.

A saga desse grupo de amigos se torna então tentar sair dos congestionamentos e passar por todos os obstáculos, vivos ou não, até alcançar o rancho e o restante da família das garotas e permanecer lá na segurança de ter o pai das garotas para protegê-los.

Vi pais carregando filhos pequenos e puxando pelas mãos as crianças mais velhas. Algumas vezes, gritaram para eu parar, imploraram ajuda, porém, nos filmes, parar sempre significava morrer, e eu mal havia completado dezoito anos. Eu não sabia quanto tempo conseguiríamos sobreviver, mas tinha certeza de que não morreria no primeiro dia da droga do Apocalipse zumbi.

C) Nathan:

o personagem tem um filhinha pequena e está preso em um casamento fadado ao fracasso: sua esposa não o suporta e nem sequer se comunicam propriamente. No começo da narração Nathan está descrevendo seu casamento e como costumava ser enquanto está a caminho para buscar Zoe no colégio ouvindo o rádio. Ele está atendo ao noticiário já que o trânsito não está fluindo e fica sabendo do apocalipse tomando conta de todas as cidades e se espalhando rapidamente. Assim que ouve uma sirene de urgência para que todas as crianças sejam buscadas rapidamente, busca sua filha e vai para casa.

Chegando em casa, Nathan tem uma surpresa ao descobrir que sua mulher o abandonou junto com sua filha no meio do caos de um apocalipse zumbi. Rapidamente ele pega a garota e se encaminha para a casa de seu cunhado Skeeter e sua mulher Jill, na cidade de Fairview em busca de companhia e segurança.

— Você não devia ter deixado ela ir — falei, irritada. — Todo mundo que amamos está lá fora.
[…]
— Como eu podia argumentar se faria a mesma coisa?

Eventualmente todos os três personagens principais e alguns outros acabam chegando no rancho Red Hill, embora que de maneiras e em momentos diferentes e então cada um tem que continuar se esforçando para alcançar seus objetivos iniciais.

Minha opinião

Pra começo de conversa, fiquei extremamente feliz de ver que os personagens, na maior parte das situações, não perderam controle em momentos de estresse, não ficaram curiosos e saíram do carro para ver o que, de fato, estava acontecendo, por exemplo, como estamos acostumados a ver em filmes do tipo.

Como eu estava saindo de uma ressaca literária depois de ler A rainha vermelha (resenha aqui) e não tinha conseguido ler nenhum livro desde então, decidi dar uma chance a Red Hill por motivos de: zumbis! E estava sendo bem difícil engatar na leitura de quaisquer outros livros que demoravam muito na ambientação, mas com esse livro não foi assim: logo no começo já temos uma dose de ação com ritmo acelerado sem deixar o livro confuso.

No começo do livro já temos uma visão médica hipotética da origem e da manifestação do vírus, não é uma daquelas histórias em que ficamos no escuro durante a maior parte do livro, embora o apocalipse em si seja mais um plano de fundo para o desenrolar das relações e interligações entre os personagens.

Considerações finais

O foco do livro não são os zumbis ou o apocalipse e é óbvio que eu adoro livros assim (vide A caixa de pássaros e Reboot). O livro aborda temas como esperança e sobrevivência e como os seres humanos reagem em situações extremas e fora de controle.

Algumas coisas não foram muito bem explicadas, (CONTÉM SPOILERS, FUJA!) como por exemplo: como e porque uma brigada armada havia sido instalada ao redor da cidade Anderson, o que aconteceu com a mulher de Nathan (Audrey), o que de fato deu origem ao surto todo e onde ele se iniciou ou como estavam as coisas no complexo de sobreviventes apresentado no livro. Se conheço bem a Jamie, me arrisco a dizer que vem mais livro por aí e Red Hill vai ser uma série e não um livro único.

Sobre a autora

73521344484647GJamie McGuire nasceu em Tulsa, Oklahoma. Ela foi criada por sua mãe Brenda em Blackwell, Oklahoma, onde ela se formou no colegial em 1997. Jamie assistiu à Northern Oklahoma College, da University of Central Oklahoma, e Autry Centro de Tecnologia, onde se graduou com uma licenciatura em Radiologia.
Jamie vive agora em Enid, Oklahoma, com seus três filhos e marido Jeff, que é um cowboy de verdade. Eles compartilham seus 10 hectares, com quatro cavalos, quatro cães e Galo o gato.
Livros publicados por Jamie incluem a Providência trilogia, e The New York Times best-seller Beautiful Disaster , um romance contemporâneo. Quando ela não está escrevendo, Jamie passa seus dias deixando seus quatro cães dentro e para fora.
A autora tem site, facebook, twitter e instagram.

Compre o livro em: Amazon | Submarino | Saraiva | Livraria Cultura

Extras

Existe um spin-off (Red Hill #1.5) contando a versão da história pela narração de Jenna, a filha mais velha de Scarlet chamado Among monsters (Entre monstros) e a capa é:

AMONG_MONSTERS_1435518815512043SK1435518815B

Não encontrei nada a respeito sobre a Editora Verus ter traduzido ele também ou ter uma previsão de que faria isso. Se a autora for repetir a fórmula de suas séries anteriores, podemos esperar que Red Hill não seja um livro único.

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *