Não queira saber, Lisa Jackson

não queira saber, you don't want to know, bertrand brasil, grupo editorial record

Todas as noites, em seus sonhos, Ava vê o filho, Noah. Porém, quando ela acorda, é novamente arrebatada pela verdade aterradora: Noah desapareceu há dois anos, e seu corpo nunca foi encontrado. Ao longo desse período, Ava passou a maior parte do tempo internada em hospitais psiquiátricos de Seattle, arrasada pelo luto e incapaz de recordar os detalhes do desaparecimento do filho. Contudo, à medida que suas faculdades mentais voltam ao normal, as suspeitas aumentam. O que será que realmente aconteceu naquela noite? Como saber em quem pode confiar? Vem descobrir mais sobre ‘Não queira saber‘:

    Sobre o livro:

Ava havia perdido seu único filho havia dois anos e desde então a morte do garoto a atormentava todas as noites. Ela sempre via o filho caminhando em direção ao mar e então o garoto desaparecia. Na tentativa de cuidar da saúde mental de sua esposa, Wyatt, um marido ausente, a internou em algumas clínicas psiquiátricas ao longo desse tempo. Ava só voltou para o Portão de Netuno (casa da família na ilha de Church) pois ela havia concordado em se consultar regularmente com uma psiquiatra, a dra. McPherson, que viria sempre à ilha, mesmo sendo um lugar muito afastado e tomaria os remédios que ela lhe receitasse. Ava não conseguia confiar em ninguém naquela casa: nem no marido, na psiquiatra e nem na sua antiga melhor amiga Khloe.

Mas os olhos deles se fixaram nos dela, e Ava percebeu que os dois estavam mentindo. Ela detestava ser tão submissa, mas sabia que precisava agir com cuidado ou acabaria ficando em observação num hospital, tendo a estabilidade mental questionada. De novo.

A protagonista havia aberto sua própria agência de publicidade, ficado extremamente rica, a ponto de comprar a parte da herança de quase todos os primos para que pudesse ser a dona majoritária da ilha de Church, exceto por Jewel-Anne. A prima recusou todas as ofertas, por mais exorbitantes que fossem, pois considerava o Portão de Netuno o seu lar. Ava que outrora fora uma mulher muito forte, decidida e firme de suas decisões agora era somente uma sombra da pessoa que costumava ser. Mas ela estava determinada a descobrir as incógnitas existentes em torno da morte misteriosa do pequeno Noah.

Ela já havia perdido o filho e, ao que tudo indicava, a própria identidade. Então, deveria se agarrar ao marido e ao casamento. Mas corria o risco enorme de perder os dois e só conseguia sentir alívio.
Quando aquilo havia começado?

Num dos episódios em que Ava viu seu filho caminhando para o mar, correu atrás do garoto para tentar salvá-lo e acabou se afogando no mar, sendo resgatada por Austin Dern, o novo contratado para cuidar do rebanho da família. Eventualmente descobrimos mais sobre ele e todo os outros personagens, mas posso adiantar que nem todo mundo é quem diz ser. Decidida a descobrir o que as pessoas ao seu redor se recusam a contar, Ava resolve se encontrar com Cheryl para fazer sessões de hipnose e tentar finalmente ter paz de espírito.

Havia pouco tempo que estivera internada no hospital, e a estada não fizera mais do que acalmá-la. Além disso, as frequentes sessões de terapia com a dra. McPherson não haviam surtido nenhum resultado surpreendente. A hipnose fora um último recurso, uma medida desesperada, e aquilo também não tinha conseguido libertar lembranças reprimidas nem verdades veladas.

nqs

    Minha opinião:

A ambientação é demasiadamente lenta e fez com que minha leitura não engatasse de primeira, porém entendo a necessidade que a autora teve para fazer isso: ela descreveu não somente o psicológico da protagonista como também o de todos os outros personagens e a rotina dos mesmos. Em outros momentos tudo acontece muito rápido e mal conseguimos recuperar o folego. Essas inconsistências no ritmo da leitura me desanimaram um pouco com o livro, mas foi só até conseguir me acostumar com o estilo abordado pela autora. Se você é fã de mistérios e romances policiais, Não queira saber com certeza é um livro pra você!

Repetiu para si mesma que não estava voltando para a prisão, que era uma mulher livre. Mas quando o Pestinha (barco) empinou um pouco porque a proa se chocou com a ondulação deixada por uma lancha que vinha na direção oposta, ela se deu conta de que estava enganada.

Algumas coisas podem desanimar quem estiver interessado pelo livro: ele é enorme, são 461 páginas e elas são brancas! Não é um livro pra ler durante uma sentada no final de semana, embora a curiosidade para descobrir o que realmente aconteceu seja enorme. Vale ressaltar que esse é um daqueles livros que realmente tem cheirinho de livro sabe? Outro ponto negativo foi: achei alguns erros de pontuação! No começo achei que poderia ser um artifício da autora para ilustrar o estado mental da protagonista, mas não, foram algumas pequenas falhas que acabaram passando desapercebidas pela preparação e revisão, mas não é nada que chegue a incomodar. Foi minha primeira leitura de Lisa Jackson e posso afirmar com toda certeza que não será a última!

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *