A fuga, Barbara Delinsky

a fuga, escape, barbara delinsky, betrand brasil

Você já acordou suando frio, pensando que acabou tendo uma vida que não queria? Já considerou desaparecer – abandonar sua família, seus amigos, até mesmo um marido -, deixar para trás tudo o que conhece e começar de novo? Talvez, apenas talvez, voltar para um amor do passado? Emily já. E ela vai tentar mudar isso! Vem saber mais sobre A fuga:

A protagonista Emily se encontra em um casamento desgastado, com um marido desinteressado e ausente (que possivelmente está a traindo). Na faculdade Emily planejava ajudar os menos afortunados, mas sete anos depois de sua formatura ela está trabalhando para uma grande empresa sendo acusada de vender água engarrafada contaminada. As pessoas a contatam com os mais variados tipos de problemas e seu trabalho é discernir as reivindicações que são legítimas das que não são. Quando ela recebe a ligação de uma jovem mulher que afirma já ter tido dois abortos por consumir água contaminada, Emily fica profundamente tocada, já que ela e seu marido James vinham tentando engravidar há um bom tempo, sem sucesso.

Na época em que me mudara para Nova York, adorava as multidões. Elas faziam com que eu me sentisse parte de algo grande e importante. Agora, era como se não fizesse parte de nada. Se não fosse trabalhar, outros iriam. Se esbarrasse nas pessoas, elas seguiriam em frente.

No calor do momento Emily decide fugir. Ela para de responder às chamadas de sua irmã, ignora o resto do expediente no trabalho, o jantar do trabalho do marido, o cartão de crédito estourado, saca o máximo que pode da conta, arruma a mala com algumas roupas, pega o carro do marido e desaparece. Emily vaga por alguns hotéis até acabar na pousada de sua melhor amiga Vicki, em sua cidade natal, com quem não conversa há mais de dez anos. Vicki é irmã de Jude, um antigo namorado de Emily, que a traiu e deixou com o coração partido. Jude vive viajando ao redor do mundo e ocasionalmente manda cartas para Emily, que nunca são respondidas.

De repente, tudo pareceu subir à minha garganta, como comida ruim – casamento ruim, emprego ruim, família ruim, amigos sentimento -, e eu não conseguia engolir.

Emily está de volta ao local em que toda sua vida começou a tomar um caminho que ela não queria e ela vai tentar então retomar o controle, mas não vai ser fácil e ela sabe disso. A chegada de pessoas do passado da protagonista vai tornar as coisas ainda mais complicadas. A fuga é um livro sobre recomeços e segundas chances.

a fuga, escape, barbara delinsky, betrand brasil

A opção mais segura, obviamente, era dirigir para o sul, para Nova York. Se voltasse agora, só James saberia o que eu fiz. Quanto mais tempo levasse, mais consequências teriam.
Ah, sim, Nova York certamente era a opção mais segura, mais opções seguras foram o que me causaram problemas. Agora, eu era uma rebelde, e aquela ainda era minha fuga.

    Minha opinião

Sempre serei suspeita para comentar sobre personagens como a Emily (ou Allison em Allison contra os zumbis e vários outros) que depois de muito tempo aceitando e/ou concordando com uma determinada situação ou estilo de vida se cansam. Mas não é um cansar elegante e pacifico. É um cansar de jogar a mesa (e tudo em cima dela) pra cima ou sair matando um bocado de mortos-vivos. Ou simplesmente abandonar família, emprego e marido para trás e sair em busca de algumas respostas (ou perguntas). Mas é necessária muita coragem para sair de uma situação confortável e mergulhar no completo desconhecido em busca da felicidade e com isso tanto Emily como Barbara (e autora) ganharam muitos pontos comigo.

Respirei fundo e pesarosamente, e isso deve ter acionado algo no meu cérebro, pois sentada naquela varanda com os restos de um sanduíche comido pela metade e uma vida que já parecera promissor, percebi que minha fuga não tinha nada a ver com James. Não tinha nada a ver com o trabalho, Manhattan ou minha irmã, não tinha nada a ver com se divertir. Não tinha nada a ver nem mesmo com Jude. Só tinha a ver comigo. Com a direção que a minha vida estava tomando. Com quem eu queria ser.

O que mais gostei no livro foi que não demorou muito para que a protagonista tomasse alguma atitude, o que apesar de ter sido rápido, não foi forçado: a autora conseguiu construir as insatisfações dela muito bem e conseguiu passar para o leitor que esse era um processo que vinha se arrastando há muito tempo. Apesar de as coisas terem ficado um pouco repetitivas a partir de um certo ponto, achei que Barbara foi ousada e soube finalizar com maestria a obra e inovar em um final que poderia ter sido clichê. Ganhou meu respeito e curiosidade para ler suas outras obras. Deixo aqui minha dica de leitura!

(…) precisava de abrigo. Minhas lágrimas indicavam isso. (…) Nos últimos dois dias, eu fora contida. Nos últimos dez anos, eu fora contida. De repente, não era mais.

A fuga 3D
 
 
A fuga (Escape)
Barbara Delinsky
Betrand Brasil
333 páginas
Lançamento: 2016
Comprar (Amazon – R$ 25,18)

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

4 Discussion to this post

  1. Ju, fiquei curiosa para saber se esse livro é mais sobre ensinamentos da vida ou sobre suspense. Rola alguma treta quando ela vai atrás do passado (olha eu já querendo ver barraco)?

    Adorei as fotos da resenha, mas adorei mais ainda tua nova foto do perfil – falei no Twitter e repito, haha!

    Beijos 🙂

  2. kamii disse:

    Gostei da resenha, me interessei pelo livro! Talvez eu o compre quando acabar os que estou lendo 🙂
    Fiquei muito curiosa sobre o que vai acontecer na fuga dela e principalmente pelo final já que você disse que fugiu do clichê!

  3. Clayci disse:

    Nossa, quem nunca se identificou com a Emily?
    Já teve situações que eu quis fugir e deixar tudo para trás, foi tentador confesso..
    Quero muito ler e conhecer a história e o desfecho dela ^^

    Beijos

  4. Irisvanda disse:

    Minha linda Juliane! Que saudades suas e de seu blog. Sério, de coração. Muita falta de vim e me usufruir da sua escrita maravilhosa. Mesmo eu não curtindo muito a premissa da obra, sua escrita torna tudo mais melhor. Confesso que não fiquei curiosa para ler e dificilmente irei dar uma chance a obra. Mas fico contente que tenha gostado da obra. É bom ler obras em que personagens mudam de atitude (para melhor é claro haha).
    Amei a resenha.
    Beijos e muito sucesso mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *