Anna vestida de sangue, Kendare Blake

Anna vestida de sangue, annda dressd in blood, kendare blake, fantasma, verus editora

Cas Lowood caça e mata fantasmas. Ele herdou esse trabalho de seu pai, que morreu em uma missão, assassinado por um dos fantasmas que perseguia. Cas e sua mãe, uma bruxa, mudam-se de cidade em cidade atrás dos fantasmas, junto com seu gato farejador de espíritos. Quando eles chegam a uma nova cidade em busca do fantasma que os habitantes chamam de Anna vestida de sangue, Cas espera o de sempre: perseguir, caçar e matar. Mas, obviamente, não é isso que vai acontecer. Vem saber mais:

O livro Anna vestida de sangue é narrado unicamente por Cas (apelido para Cassio, Theseus Cassio Lowood). Ele é um caça-fantasmas e juntamente com sua mãe, migra de cidade em cidade em busca da nova missão dele, e assim, nunca forma laços de nenhum tipo com ninguém da cidade. No começo do livro vemos ele se aproximar e matar o fantasma do Caronista. Cas herdou o posto de seu pai, que morreu vítima do último fantasma que caçava, sob circunstâncias muito obscuras: o corpo dele foi encontrado coberto de enormes mordidas, grandes demais para qualquer animal conhecido e o assassinato permaneceu um mistério.

– Mãe, você sabe como funciona – digo. – Só os outros pensam que não se pode matar o que já está morto. – Quero lhe dizer que meu pai também sabia, mas não digo. Não gosta de falar sobre ele, e sei que ela nunca mais foi a mesma desde que ele morreu. Ela não está totalmente presente mais; há algo faltando em todos os seus sorrisos, como um ponto borrado, ou uma câmera desfocada. Parte dela o seguiu, para onde quer que ele tenha ido. […] Agora, nós andamos por aí como uma fotografia da qual meu pai foi cortado.

Cas criou, ao longo dos anos, uma rede de contatos em que pode confiar, com pessoas que lhe indicam missões que valem a pena e conselheiros que lhe tiram dúvidas em momentos de aperto. Foi assim que ele ficou sabendo do fantasma da Anna e se mudou para Thunder Bay para matá-la. Ele sempre tem um plano para descobrir sobre a história dos fantasmas: se aproximar dos moradores locais e perguntar sobre as supostas lendas dos espíritos, como eles morreram e o que têm aprontado desde então. É assim que Cas conhece Carmel; seu ex-namorado ciumento, Mike, e os amigos dele, dentre eles Chase; além do enigmático Thomas, um telepata.

Ao longo da vida, estive em muitos lugares. Lugares sombrios onde coisas deram errado. Lugares sinistros onde coisas ainda stão erradas. Sempre detesto as cidades banhadas de sol, cheias de condomínios novos com garagens para dois carros em tons de bege claro, cercadas de gramados verdes e fervilhando de crianças risonhas. Essas cidades não são menos assombradas que as outras. Apenas mentem melhor. Gosto mais de chegar a um lugar como este, onde o cheiro de morte é trazido até você a cada respiração.

A turma então vai para uma festa em uma cachoeira, onde Cas descobre algumas coisas sobre as superstições a cerca do fantasma da Anna, mas ninguém sabe ao certo explicar como ela morreu e quem a matou. Mike e seus amigos decidem, então, ir para a antiga casa da garota e dar um susto em Cas, e Carmel, embora contrariada, vai junto. Mike nocauteia Cas e o leva pra dentro da casa da Anna, lá dentro, enquanto recupera a consciência, Cas presencia Anna rasgar Mike ao meio. Thomas puxa Cas de dentro da casa de Anna, assim que ela termina de matar Mike e se vira para o protagonista.

Chase está segurando a cabeça com as mãos, falando consigo mesmo sobre a confusão que é tudo isso, que pesadelo vai ser mentir para a polícia. É mais fácil para ele focar no aspecto não sobrenatural do problema. É mais fácil para a maioria das pessoas. É isso que permite que coisas como Anna permaneçam em segredo por tanto tempo.

Anna não iria matar Cas, pois ficou com pena de ele ter sido atacado, mas matou Mike justamente por ter machucado o protagonista e por ter entrado em sua casa. Todo mundo que entra na casa do fantasma da Anna morre. Todo mundo menos Cas. Com o decorrer da leitura descobrimos o motivo de Anna ter poupado a vida de Cas e, eventualmente, quem a matou e como. Anna é um fantasma muito violento e sem piedade, que possui uma história muito sensível e triste. Mas ela não é o único fantasma que vai assombrar Cas e esse é só o começo da aventura.

    Minha opinião

Tenho que começar dizendo o quanto eu acho legal o Cas e a mãe dele terem um gato e que ainda por cima fareja espíritos? Tenho dois gatos em casa e me identifiquei com um bocado de situações que o Cas passou com o Tybalt (não que eu viva de caçar fantasmas e tals), mas em alguns momentos, os gatos ficam parados, olhando hipnotizados para o nada e eu só consigo pensar ‘é, tem um espírito ali’. Como meus gatos são excelentes guardiões, nunca tive problemas com os fantasmas haha.

Anna é diferente de tudo que já vi antes. Sua força parece ilimitada, assim como seu arsenal de truques. Ela não é um fantasma de andar arrastado, muito puto por ter sido assassinado. Ela é a própria morte, pavorosa e absurda, e, mesmo quando está vestida de sangue e veias, não consigo parar de olhar para ela.

Sobre a edição, capa e diagramação, não tenho nenhuma crítica, pelo contrário, foi tudo muito bem escolhido: todos os elementos da capa são essenciais na história e são ilustrações bem precisas do que é descrito no livro. Tenho que dizer que comecei a leitura com uma teoria do que poderia ter acontecido com a Anna e o livro tomou um rumo completamente diferente do que eu imaginava e ainda bem. Fui surpreendida pela história e pela maneira que ela foi contada: eu não mudaria a narração, por exemplo, colocando a Anna como um segundo narrador. Sinto que todo o mistério em torno dela e de sua morte foram apresentados na hora certa.

Quer esse fantasma tenha ou não machucado alguém, ele certamente machucou a si mesmo e, qualquer que seja o lugar para onde eu os esteja mandando, tem de ser melhor do que isto: ficar preso na mesma forma com a pessoa que você odeia, enlouquecendo um ao outro cada vez mais, a cada dia, semana, ano que passa.

A Anna me lembrou a protagonista de ‘Dezesseis luas‘ e tenho que dizer que, junto com Thomas, são meus personagens favoritos da história. Quando descobrimos o que realmente aconteceu com Anna, criamos compaixão pela personagem e pelo seu sofrimento e já vou adiantando que ela é uma personagem bem complexa e guarda muito mais do que deixa transparecer. Thomas, por outro lado, é o comic relief do livro e virou um dos personagens que eu gostaria que fosse meu amigo na vida real. Anna vestida de sangue foi uma leitura intensa e me deixou com um gostinho de quero mais. Cas me lembrou um pouco a Mac de A guardiã de histórias (tem resenha aqui) e eu gostaria que tivesse uma continuação!

Eu não gosto, particularmente, de ser o líder. Não tenho muita prática com isso e me sinto muito mais à vontade arriscando apenas a minha pele. Mas não adianta. Não há tempo para desculpas ou dúvidas. Nas mil maneira que imaginei isso acontecendo, jamais poderia ter pensado em nada assim. De qualquer forma, é bom que eu não esteja lutando sozinho.

Anna vestida de sangue, annda dressd in blood, kendare blake, fantasma, verus editora
 
Anna vestida de sangue (Anna dressed in blood)
Kendare Blake
Verus Editora
315 páginas
Lançamento: 2016
Comprar (Amazon – R$ 25,79)
 
 
 
 

AWTR ASSINATURA PARA BLOG5

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *