Além-mundos, Scott Westerfeld

além-mundos, além mundos, scott westerfeld, galera record, grupo editorial record, afterworlds

Darcy Patel escreveu seu primeiro livro em um mês. Não muito tempo depois, se mudou para Nova York, para realizar o sonho de viver de escrever. Lizzie se prepara para mais uma viagem de avião, até terroristas invadirem o aeroporto e começarem a atirar em todos. Desesperada, Lizzie se joga no chão. Ela está tão convencida de pertencer ao lugar dos mortos que acaba atravessando a fronteira do além-mundo. Darcy criou Lizzie. Sempre atravessando as barreiras entre mundos, as duas irão se redescobrir, se reescrever e explorar os infinitos mundos dentro de si mesmas. Venha conferir mais sobre Além-mundos, o novo livro de Scott Westerfeld:

Darcy Patel é uma adolescente hindu que acabou de completar 18 anos e, em um momento de muita inspiração escreveu seu primeiro livro. E o mais impressionante: em UM mês apenas! Depois de enviar o rascunho para várias editoras, a renomada editora Paradox decide publicar seu livro e para isso lhe concede um adiantamento de 150 mil de dólares, contando que o próximo livro seja entregue em um ano a partir daquela data, quando ela receberia mais 150 mil dólares. Darcy decide então, mudar-se para Nova York, o centro dos escritores famosos e das inspirações literárias, para revisar e entregar o livro finalizado a editora e se engajar na escrita do segundo livro.

Para isso Darcy teve que pausar os planos de entrar na faculdade, em um ano, até sua carreira como autora alavancar. Logo ela se muda para Nova York, começa a se enturmar com os autores da região e a participar dos círculos de amizade deles, enquanto se esforça para fazer as correções pedida pela editora, finalizar o livro e se mantar dentro do orçamento diário que sua irmã, Nisha, havia estipulado para ela. Nesse meio tempo, Darcy se envolve com outra escritora, como ela, ainda não publicada, e se aventura nas delícias e dificuldades de seu primeiro amor.

além-mundos, além mundos, scott westerfeld, galera record, grupo editorial record, afterworlds

Paralelamente, acompanhamos a história de Lizzie: ela estava visitando seu pai e madrasta e na viagem de volta, enquanto esperava pelo vôo, o aeroporto de Dallas, em que estava foi atacado por terroristas. Ao ligar para a emergência, a atendente sugere que Lizzie se finja de morta para tentar despistar os terroristas e escapar da morte e a garota o faz tão bem, que passa realmente a acreditar que estava morta. Lizzie atravessa para o chamado Além-mundo e lá, acompanha as pessoas que estão morrendo no aeroporto e conhece um garoto que parece saber o que está acontecendo naquele lugar, o Yamaraj.

– Espero que você esteja errada Lizzie. Acreditar não só é difícil, mas também perigoso. Fazer o que você fez, atravessar os mundos, pode mudar sua vida de maneiras que você nem imagina.

O garoto ajuda Lizzie a voltar para sua realidade e a partir dali vamos acompanhar a vida dela agora que sabe que possui uma conexão com os dois mundos e com Yamaraj e quais as consequências disso. Então Lizzie faz novos amigos do outro mundo enquanto se arrisca para solucionar mistérios. Enquanto isso, acompanhamos também os capítulos de Darcy, se desdobrando para se adaptar à vida nova iorquina e para cumprir seus combinados com a editora, sem ter que perder a essência do livro, e principalmente, a dela.

    Minha opinião

Logo que descobri que mais um livro do Scott Westerfeld viria para o Brasil já comecei a me animar, afinal ele é o autor de uma das minhas séries favoritas de todos os tempos, Feios. Assim que ele chegou por aqui, o solicitei para a editora. Foi o primeiro que comecei a ler e como ele é longo, demorei um pouco mais que costumo levar para terminá-lo. Mesmo depois de terminada a leitura, quis esperar um pouco para escrever a resenha e fiquei tentando entender algumas escolhas do autor. Se eu tivesse escrito esta resenha assim que tivesse terminado o livro, ela seria bem diferente desta.

A tristeza no rosto dela fez com que eu me sentisse horrível. Mas um pesadelo de mentirinha era uma explicação melhor do que ‘fui assediada por um psicopompo do mal, depois fui visitar a casa de um antigo serial killer. Ah, e dei uns beijos também’.

Quem leu Feios, Leviatã ou Os primeiros dias sabe como é a escrita de Scott: cativante, esperta, precisa e viciante. E quem correu para ler Além-mundos esperando por isto pode ter se decepcionado um pouco, como foi o meu caso. No começo, eu sequer diria que este tinha sido um livro escrito pelo Westerfeld, não reconhecia nada dele ali. Então eu esperei um tempo e fiquei remoendo as histórias na minha cabeça, em segundo plano, enquanto lia outros livros.

A hipótese de Darcy era mais simples: no mundo real funciona de forma diferente das histórias. Em um livro você sempre sabia o momento em que algo Acontecia, em que alguém Mudava. Mas a vida real era cheia de acidentes e indefiníveis, e de coisas que simplesmente aconteciam sozinhas. A única certeza era “É complicado”, independente dse unicórnios toleravam o seu toque ou não.

Por fim, decidir analisar o livro; não levando em conta a profundidade das histórias quando comparadas às de seus outros títulos, já que este é, com certeza, algo diferente; e sim levando em consideração a capacidade do autor de se reinventar e reinventar sua escrita em um projeto que estava, possivelmente, fora da zona de conforto dele. Scott teve uma idéia e acreditou nela, assim como sua personagem Darcy, e assim nasceu Além-mundos. Nesse sentido, Scott se superou com certeza e entregou uma história que, como ele nos quis fazer acreditar, poderia ter sido escrita por uma adolescente.

– Não estou falando de superstição. Estou falando de personagens. Como eles morrem um pouco quando você chega à última página.

Gosto de pensar que Scott Westerfeld utilizou sua personagem Darcy para fazer várias críticas a situações e ocorrências do mundo editorial, e é claro, a alguns de seus amigos escritores. Em relação a isso, mais uma vez, ele conseguiu me surpreender. Também fiquei feliz com a identidade de Darcy, ele escolheu representar uma parcela da população que quase não tem representatividade nos livros e aí sim, é onde também encontrei aquele Scott que eu conhecia. Recomendo para quem gosta de um bom YA com romance adolescente, curiosidades sobre outras culturas e religiões e histórias sobre fantasmas.

além-mundos, além mundos, scott westerfeld, galera record, grupo editorial record, afterworlds
 
Além-mundos (Afterworlds)
Scott Westerfeld
Galera Record
544 páginas
Lançamento: 2016
Comprar (Amazon – R$ 49,90)
 
 
 
 

AWTR ASSINATURA PARA BLOG5

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

2 Discussion to this post

  1. Ana Claudia disse:

    Uou! Eu também sou apaixonada por Feios! É uma série com um universo tão incrível! Cheio de coisas diferentes… Eu tenho namorado esse livro há um tempo e é bom saber que o Scott se reinventou nesse livro, assim a gente baixa as expectativas e vai com mais calma.
    Adorei sua resenha! Sério mesmo! Principalmente porque ela é sincera! E porque você gosta de Feios.
    🙂

  2. Oláa,

    Eu adoro o Scott, a série Feios é uma das minhas favoritas e aquela que me apresentou as distopias, tenho um carinho muito grande por ela. <3
    Ainda não li Além Mundos, e confesso que tenho um pouco de medo de me decepcionar, pois a premissa é bem diferente o livro enoooorme, tenho medo de acabar achando chato e me enrolar na leitura… :/
    Com certeza o autor desafiou-se arriscou-se ao escrever uma história diferente e que bom que vocês gostou, quem sabe eu dê uma chance logo não é?!

    Super beijo,
    May

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *