A caçadora de bruxos, Virginia Boecker

a caçadora de bruxos, the witch hunter, virginia boecker, ficção, editora verus, elizabeth, caleb, niholas, blackwell, malcolm, peste, tabuletas, ânglia, reformistas, magos, bruxas, necromantes

Na Ânglia do século XVI, a prática da magia é ilegal e infratores são queimados nas fogueiras. Elizabeth Grey é uma das melhores caçadoras de bruxos do rei: ela localiza e captura Reformistas, rebeldes suspeitos de praticar feitiçaria para que sejam julgados e executados, conforme manda a lei. Até que, inexplicavelmente, ela é incriminada e acaba presa sob a acusação de praticar a arte que se dedicou a erradicar. A salvação, no entanto, acaba vindo na forma de seu maior inimigo: Nicholas Perevil, o mago mais poderoso e procurado de Ânglia. Será que Elizabeth está pronta para decidir de qual lado está sua lealdade, afinal de contas? Vem saber mais sobre A caçadora de bruxos:

No universo de Elizabeth, fomos instruídos que uma peste foi lançada por um mago muito poderoso e procurado: Nicholas Perevil. Até então a magia era tolerada e até incentivada. A partir de então, os bruxos eram caçados e mortos. A doença aniquilou uma grande parcela da população, inclusive os pais da protagonista. Graças a esse incidente, Elizabeth conheceu seu melhor amigo, Caleb, quem ela considera o restante de sua família. Os dois chegaram muito jovens ao reino de Ânglia e desde muito cedo foram treinado para se tornarem caçadores de bruxos, pelo grande inquisidor Blackwell.

Ele pediu que eu o acompanhasse, para descobrir aonde aquilo iria dar. Na época eu não odiava espaços pequenos e escuros – não como agora -, mas mesmo assim não quis ir. Tinha trabalho a fazer e sabia que ficaria encrencada caso saísse. Mas sempre segui Caleb a todo lugar. Não havia um local aonde ele me pedisse para ir que eu não concordasse em ir junto. Mas nunca pensei na possibilidade de que um dia ele pararia de me convidar. Nunca percebi que, sem ele, eu não tinha aonde ir.

O livro é narrado em primeira pessoa pela protagonista e começa com a caça de um grupo de necromantes que Elizabeth consegue capturar. Ao voltar para seus aposentos no castelo, a garota é surpreendida com ervas nos bolsos, o que era considerado um ato de bruxaria, e ainda por cima de traição. Elizabeth até tem chance de se explicar, porém as condições não estão favoráveis para ela. Ela então é capturada e levada para as celas junto com o restante dos bruxos capturados, que aguardam execução.

Não recebo tratamento especial. Eles tiram minha capa, meus sapatos. Jogam-me numa cela com o restante dos criminosos e hereges, como se eu também fosse criminosa e herege.
Sou criminosa e herege.

a caçadora de bruxos, the witch hunter, virginia boecker, ficção, editora verus, elizabeth, caleb, niholas, blackwell, malcolm, peste, tabuletas, ânglia, reformistas, magos, bruxas, necromantes

Caleb promete que irá libertá-la da cadeira assim que conversar com Blackwell e convencê-lo de que tudo não passa de um mal entendido. Elizabeth espera por dias a fio na prisão até que é acometida da febre da cadeia, mas Caleb nunca aparece para resgatá-la. Até que chega o dia de sua execução. Mas quem chega para ajudá-la é Nicholas: alguém da qual ela nunca esperaria receber ajuda. O mago mais poderoso e procurado do reino é quem ajuda a garota a fugir, cuida de sua doença e a ajuda a se recuperar. E o que Nicholas tem a dizer sobre a política do reino e Blackwell vão contra tudo que a garota foi ensinada. E então ela se vê diante duas opções: ajudar o mago e as pessoas que cuidaram dela enquanto estava doente ou se voltar contra elas e entregar Nicholas para Blackwell em troca de seu perdão e liberdade.

As palavra saem sem que eu pense, mas percebo que são sinceras Encarar todas essas pessoas, jantar com elas. O mago que me resgatou, o rapaz que me curou, a garota que me deu banho, o bobo que ficou meu amigo. Estou em dívida para com cada um deles, no entanto eles são meus inimigos. Demonstraram gentileza, e ainda assim estou preparada para matá-los.

    Minha opinião

Se você me conhece ou acompanha o blog há muito tempo, sabe que esse livro está completamente fora da minha zona de conforto. Ainda assim, solicitei-o para a editora (e para ser completamente sincera, não me lembro ao certo o porquê). Mas ainda bem que o fiz, pois A caçadora de bruxos se tornou uma das surpresas literárias mais agradáveis que tive este ano. Não sei porque o livro não está hypado na blogosfera, porque é uma série que com certeza me deixou ansiosa pela continuação.

a caçadora de bruxos, the witch hunter, virginia boecker, ficção, editora verus, elizabeth, caleb, niholas, blackwell, malcolm, peste, tabuletas, ânglia, reformistas, magos, bruxas, necromantes

Olho para ele. É o mesmo Caleb que sempre conheci. Inquieto, ambicioso, sempre desejando mais. Só agora percebo a profundidade com que essa peste de ambição se espalhou dentro dele. Como uma doença, ela agora o domina: seus pensamentos, suas atitudes, as coisas que ele escolhe enxergar, as coisas que ele escolhe ignorar. E, tal como uma doença, um dia ela significará sua morte.
Quase significou minha morte.

A sinopse e o universo, de certa forma, lembram um pouco o que foi prometido em A rainha vermelha. Falo prometido pois, para mim, a experiência com o livro foi bem decepcionante, e quem quiser pode ver minha resenha e descobrir o que achei do livro na época. Por causa do estilo de narração, vamos descobrindo e encaixando as peças ao mesmo tempo que a protagonista e cada detalhe que a autora menciona é importante, portanto nada é jogado no texto por acaso.

a caçadora de bruxos, the witch hunter, virginia boecker, ficção, editora verus, elizabeth, caleb, niholas, blackwell, malcolm, peste, tabuletas, ânglia, reformistas, magos, bruxas, necromantes

Balanço a cabeça. Não se se foi coragem tanto quanto foi medo. Eu gostaria de saber a diferença entre ambos. Se soubesse, poderia ser corajosa apesar do medo, não por causa dele. Se eu tivesse sido corajosa em vez de temerosa, as coisas teriam acabado de modo muito diferente.

Há alguns plot twists na obra (alguns antecipados e outros nem tanto), mas mesmo eu, que sou muito lerda para pegar as dicas, fui capaz de ligar os pontos e suspeitar de algumas coisas. E isto não tornou a história plana ou previsível, muito pelo contrário: os personagens são densos e bem construídos. A autora sobre inovar dentro de um universo já saturado. O livro é um pouco demorado: levei uns três dias para ler, porém o final foi mais fluído, não necessariamente apressado. Fiquei muito feliz que a editora tenha escolhido manter a capa e a edição originais, elas têm tudo a ver com o livro. Não preciso nem dizer que o livro está mais do que recomendado né? Aliás, já pode começar a leitura com o primeiro capítulo, disponibilizado pela editora, neste link.

a caçadora de bruxos, the witch hunter, virginia boecker, ficção, editora verus, elizabeth, caleb, niholas, blackwell, malcolm, peste, tabuletas, ânglia, reformistas, magos, bruxas, necromantes
 
A caçadora de bruxos (The witch hunter #1)
Virginia Boecker
Galera Record
306 páginas
Lançamento: 2016 (no Brasil)
Comprar (Amazon – R$ 24,80)
 
 
 
 

AWTR ASSINATURA PARA BLOG5

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

22 Discussion to this post

  1. Oii,

    Nossa eu amei este livro!
    Quando solicitei para resenhar eu tive um ‘insigth’ sabe? Eu olhei pro livro e sabia que tinha de ler e sabia que ele iria me surpreender e entrar para os favoritos.
    E assim foi!
    Uma das minhas melhores leituras e fico feliz que mesmo sendo fora da sua zona de co0nforto o livro te surpreendeu \o/

    Super beijo,
    May

    • Juliane disse:

      Oi Mayara, tudo jóia?
      Maravilhoso mesmo esse livro né? Antes de começar a ler eu não estava dando muita bola pra ele não, mas quando comecei a ler me apaixonei!
      Fui muito surpreendida!
      Beijos!

  2. Gui disse:

    Oi!
    Vi alguns comentários que me desanimaram quanto a esse livro então nem dei bola… confesso que não curto tanto esse tipo de fantasia mas quero dar uma chance no futuro. Parabens pela resenha!
    Abraço!

    • Juliane disse:

      Oi Gui, tudo jóia?
      Dá uma chance pro livro mesmo! Antes de ler eu também não estava apostando nele, mas depois mudei de idéia!
      Abraços!

  3. Olá,

    eu amei a leitura deste livro.
    Pois fazia tempo que não lia algo mágico, que me encantasse e surpreendesse ao longo da narrativa.
    Adorei o romance construído a mitologia envolvida e a forma como as personagens crescem e se abrem para o novo ao longo da trama.
    Estou muito curiosa com a continuação.

    Beijos,
    May

    • Juliane disse:

      Oi de novo Mayara! haha
      Eu também adorei a mitologia nesse livro, ela realmente foi muito bem construída, diferentemente de alguns livros de fantasia que li ultimamente!
      Estou mega ansiosa com a continuação também!
      Beijos!

  4. Eu adorei a capa desse livro! Parece ser bem interessante pelo que você contou… Realmente, eu não saberia como me explicar depois de ser “pega” dessa forma. É bem complicado e estou curiosa para saber mais sobre a obra.

    • Juliane disse:

      Oi Amanda!
      O livro é sensacional! Leia o primeiro capítulo que eu disponibilizei no post, acho que você vai adorar e vai querer comprar correndo o livro!
      Beijos!

  5. Oi, Juliane!
    Eu também não era muito chegada em fantasia, lia mais romances, mas depois que descobri alguns nacionais, inclusive um que estou lendo nesse exato momento e devorando e me envolvendo com um enredo como eu não esperava ser capaz antes de dar uma chance ao gênero, rs. Muito legal que você tenha tido uma experiência tão boa com esse mesmo sem esperar, e que a história tenha te prendido tanto. Não me sinto particularmente atraída por esse livro em específico por não curtir a temática de bruxos e tal, mas valeu a dica mesmo assim. Espero que goste ainda mais dos volumes seguintes!
    Beijos!

    • Juliane disse:

      Oi Sâmella,
      é incrível o que acontece quando a gente dá uma chance para um gênero que não estamos acostumadas, saímos da zona de conforto e dá super certo né?
      Se sobrar um tempo depois, dê uma chance para o livro, ele é maravilhoso!
      Beijos!

  6. Oiii juliane, tudo bem?
    Infelizmente dessa vez a obra em si não despertou meu interesse, mas confesso que me apaixonei perdidamente pela capa e a edição em si está um arraso, parabéns pela resenha, quem sabe um dia eu realize a leitura.
    Beijinhos

    • Juliane disse:

      Oi Morgana, eu estou ótima e você?
      Reconheço que essa capa é mesmo maravilhosa! Igual ao livro! haha
      Se sobrar um tempo, dê uma chance ao livro, acho que você vai gostar!
      Beijos!

  7. Nati Rabelo disse:

    Oi !

    Primeiro, parabéns por se arriscar e sair da sua zona de conforto. Livros de fantasia também, por vezes, são desafios pra mim. Mas tenho que te dizer que fiquei bem intrigada com essa obra, que parece ser surpreendente, adorei saber que tem alguns plot twists no meio do caminho. E algo me diz que vou gostar muito da protagonista. Espero que não seja uma série de muitos livros, se não vai doer no bolso rsrs.
    Beijo

    • Juliane disse:

      Oi Nati, tudo jóia?
      Quando saímos da zona de conforto e nos surpreendemos positivamente é muito bom né?
      Também acho que você vai gostar muito, tanto da protagonista quanto da obra em geral!
      Não sei ainda, mas acho que tem pelo menos mais um livro na série haha
      Beijos!

  8. Driely Meira Almeida disse:

    Oiee ^^
    Já tinha lido resenhas deste livro antes, mas não sabia que ele fazia parte de uma série *-* Não é bem o tipo de história que eu costumo ler também, coisas com magia, bruxos e etc não são comigo *-* eu sou mais um romance, sabe? hehe’ É uma pena que “A rainha vermelha” tenha te decepcionado, eu gostei bastante. Fico feliz em saber que a autora conseguiu criar uma história original e inovadora no universo dos bruxos, bruxas e cia. É bem difícil conseguir tal feito, né?
    Vou levar a sua opinião em consideração.. Antes não estava curiosa para conhecer a história, mas você me deixou animada.
    MilkMilks ♥

    • Juliane disse:

      Oi Driely!
      Que bom que consegui te deixar animada! Leia o primeiro capítulo do livro que disponibilizei no post, acho que você vai gostar mais ainda!
      Beijos!

  9. Luciana Campos disse:

    Gostei! Assumo que não sou muito fã de fantasias com magos, reinos diferentes e época medieval, mas ao decorrer da resenha até que me surpreendi com esse. Me lembrou um pouco Trono de Vidro (que é meu favorito da vida), e já consegui prever umas coisinhas que podem acontecer, do tipo “tudo que eu acreditei a vida inteira estava errado” e tudo mais, gosto de reviravoltas assim, bem estilo distopia, mas em um cenário diferente. É uma série muito longa? Não estou investindo em séries muito longas no momento, mas se por enquanto só tiver esse, acho que vou adicionar aos meus desejados…

    • Juliane disse:

      Oi Luciana! Tudo jóia?
      Eu também não sou fã de livros do gênero, mas amei o livro. Agora que você falou, lembrei um pouco de trono de vidro mesmo, mas ao contrário de você, eu já não gostei tanto da obra…
      Só saiu esse livro até agora e não tenho previsão em relação ao número de livros, mas acho que deve ficar na média de três livros.
      Beijos!

  10. Licavargas disse:

    sabe que eu fiquei pensando um tempão se eu solicitava esse livro ou não. Exatamente por me tirar da zona de conforto preferi não arriscar com prazos para resenha – vai que pedisse e não gostasse.
    Li uma resenha que me fez ficar contente com a minha decisão, mas agora, ao ler a sua estou achando que deveria ter pensado um pouquinho mais e escolhido o livro.
    Não sei, acho que essa coisa de ter te conquistado me deixou curiosa. Só fico um pouco preocupada com esse início meio lento já que ando largando muitos livros que não me prendem de cara… Mesmo assim, vou pensar com mais cuidado e ver se dou uma chance (sem pressão de prazo de resenha talvez eu possa curtir como você curtiu!).
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    • Juliane disse:

      Oi Lica, tudo jóia?
      As vezes também fico com o pé atrás de solicitar livros fora da minha zona de conforto para resenhar com prazo definido, mas nesse caso deu super certo!
      Eu também não curto livros com ambientação lenta, mas com esse livro funcionou 🙂
      Se resolver dar uma chance depois e gostar, me avisa 🙂
      Beijos!

  11. Você acha que demorar três dias pra ler é muito?? Menina, eu leio um livro em uma semana e olhe lá, dependendo do tanto de páginas mais. Enfim… Eu adoro livros de bruxos, embora não leia muitos, uma vez que eles também saem muito da minha zona de conforto, mas é tão bom quando temos uma surpresa agradável, não é? Não sou lá muito fã de narrações em primeira pessoa, no entanto, acho que pode funcionar para esse livro, e pra variar, quero conhecer.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    • Juliane disse:

      Oi Eduarda, é ótimo quando damos uma chance para algo fora da nossa zona de conforto e dá certo né?
      Dá uma lidinha no primeiro capítulo do livro que disponibilizei no post, quem sabe funciona pra você 🙂
      Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *