Desintegrados, Neal Shusteman

A Fragmentação tornou-se um grande negócio com poderosos interesses políticos e corporativos em jogo. O governo não quer apenas continuar com ela, como também expandi-la. Cam foi feito inteiramente com as melhores partes de fragmentados e, tecnicamente, ele é um garoto que não existe. Quando as ações de um sádico caçador de recompensas ameaçam a causa de Connor, Lev e Risa, o destino de um deles é ligado ao de Cam. Vem saber mais sobre a continuação de Fragmentados, chamada Desintegrados, publicada aqui pela Editora Novo Conceito:

ATENÇÃO: Este é o segundo livro da série. Embora não tenha spoilers dele na resenha, falo de alguns fatos que aconteceram no primeiro livro e que são spoilers para quem não leu Fragmentados ainda. Se você quiser ver nossa resenha, o link está aqui.

Desintegrados segue a linha de Fragmentados e reserva um capítulo para cada personagem ou local. O segundo livro começa um pouco após o final do anterior e o primeiro personagem a quem somos introduzidos é Starkley. Ele é um típico adolescente problemático envolvido em várias confusões dos mais diferentes níveis. Até que seus pais decidem que ele é trabalhoso demais para manter e decidem fragmentá-lo. Os juvis o capturam, mas no caminho para o campo de colheita o garoto mata os dois e acaba fugindo. Passa algum tempo vagando, se escondendo e cometendo pequenos delitos para sobreviver, até que cai em uma armadilha do grupo da Resistência Antidivisional (RAD). Eles o transportam para vários esconderijos temporários, junto com outros adolescentes durante um tempo, até de fato serem enviados para o Cemitério de Aviões.

A triste verdade sobre a espécie humana, a garota percebeu depressa, é que as pessoas acreditam no que ouvem. Talvez não da primeira vez, mas, na centésima vez, a mais maluca das ideias simplesmente se torna fato.

Miracolina é um dízimo de uma família italiana. A garota nasceu para salvar o irmão com leucemia, desde cedo sabe seu propósito e o aceita com orgulho. Indo para o campo de colheita Woody Hollow, ela conhece outro dízimo Timothy, um garoto que claramente não está preparado para sua finalidade. A van que os transportava é interceptada e os dois são sequestrados por Levi Calder, o lendário dízimo batedor. Em outro núcleo, Roberta, uma especialista em metalinguagem ficou encarregada de acompanhar a recuperação do primeiro ser humano composto, Cam: com uma parte do corpo de cada etnia, a maior esperança da raça humana.

Não faça perguntas para as quais não quer respostas.

Enquanto isso, no Cemitério de Aviões, Connor herdou a posição do Almirante e agora comanda o local. Ele conta com a ajuda do seu círculo interno, dos chamados Íntegros dos Íntegros, um grupo de sete pessoas da confiança do rapaz para lhe ajudar a manter o lugar em ordem. Mas as coisas não estão fáceis para ele: o número de adolescentes que chegam ao Cemitério é cada vez menor, tanto quanto a quantidade de recursos enviados e Connor sabe que há muitas coisas erradas que não estão lhe contando. O Desertor de Akron tem agora que se preparar para uma guerra iminente e descobrir em quem realmente pode confiar.

Meus instintos me dizem que estou ferrado, não importa o que eu faça.
Mas no meu caso isso é normal.

connor, comandante, desertor de akron, levi, lev, risa, starkley, trace, hayden, cemitério de aviões, desintegrados, fragmentados, cam, campo de colheita, distopia

    Minha opinião

Se você não acompanha o blog ou nossas redes sociais há tempo suficiente, o que você precisa saber é: Fragmentados foi uma das minhas leituras favoritas do ano de 2015. Levei ela para o clube de leitura do qual participo na minha cidade e muita gente curtiu também. Tanto que ficaram me perguntando sobre a sequência e eis que vos trago Desintegrados! Na minha resenha de Fragmentados fiz algumas previsões sobre os próximos títulos da série e acabei errando o do segundo livro. Eu havia especulado que o título seria Desconectados, mas a editora traduziu como Desintegrados, o que, depois de ler o livro, posso dizer que faça muito mais sentido. O que a maioria dos dicionários definiu como desintegrado foi “aquele que se reduz a fragmentos ou que se decompõe em elementos constituintes; destruído, fragmentado”. Além disso, gosto de pensar que a Novo Conceito escolheu isso pensando no grupo Íntregos dos Íntegros, como em deixar de ser íntegro. Será que viajei muito? Vou deixar de enrolação e pular logo pro que eu achei do livro:

connor, comandante, desertor de akron, levi, lev, risa, starkley, trace, hayden, cemitério de aviões, desintegrados, fragmentados, cam, campo de colheita, distopia

Não sei até que ponto sou suspeita para falar de Desintegrados, mas a escrita do Neal Shusteman é muito inteligente e me fascina. O autor retoma o livro um tempo depois de onde o primeiro parou. Vários outros personagens são inseridos na história, da mesma forma que no primeiro livro. No começo fiquei um pouco frustrada por o protagonista não estar entregando a coragem e fúria que fizeram dele o Desertor de Akron. Mas, entendo que o autor precisava desenvolver a ambientação, os novos núcleos e os novos personagens e criar um cenário que fosse instigando em Connor a vontade de voltar a lutar. E tenho que dizer: quando chegou o momento, ele lutou.

Antes de hoje você era apenas um peão fazendo o que eles queriam que fizesse. No fundo, você sabia disso… sentia. Espero que a verdade tenha te libertado.

Lev e Cam, apesar de tudo, foram meus personagens favoritos do livro. O crescimento de Lev no primeiro livro foi algo muito inspirador e embora ele não tenha tido tanto destaque quanto eu gostaria, ainda foi um grande personagem. Já Cam vem reforçar a proposta do livro de tratar assuntos como aborto, transplantes, comércio ilegal de órgãos e religião. Levando em conta que a saga começou em 2007 e que não perdeu seu caráter de critica social, Desintegrados vem para consolidar seu posto de uma das melhores séries que já li.

Um lado alegava que os selvagens haviam sido criados pelo colapso dos valores familiares, enquanto o outro dizia que os selvagens eram um produto de crenças rígidas que já não supriam as necessidades do mundo. Ambos os lados estavam certos. E ambos estavam errados — mas isso não importava quando as pessoas ficavam apavoradas com a ideia de sair às ruas à noite por medo dos próprios filhos.

Se ficou alguma dúvida sobre eu recomendar ou não Fragmentados e Desintegrados, eu não sei como deixar isso mais claro: essa série precisa ser lida, largue tudo o que você está fazendo e comece a ler Fragmentados, se ainda não o fez! E engate a leitura de Desintegrados logo em seguida! Neal Shusteman entrega muito além do que uma simples distopia adolescente. Para mim, ele resgata o potencial que os livros têm de influenciar positivamente seus leitores e instigar o pensamento crítico. Nunca achei que eu diria isso, mas Neal Shusteman é o autor do qual eu leria até a lista de compras de supermercado! A série Fragmentados tem um lugarzinho especial na minha estante e no meu coração.


 
Título: Desintegrados (UnStrung, Unwind #2)
Autor: Neal Shusteman
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 416
Lançamento: Janeiro/2017
Comprar (Amazon – R$ 30,65 em 23/03)
 
 
 

AWTR ASSINATURA PARA BLOG3

 

*ESTE POST PARTICIPA DA PROMOÇÃO DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE MARÇO!*

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

12 Discussion to this post

  1. Larissa Costa disse:

    Eita, adoro uma distopia.
    Não sei se sou muito louca, mas achei parecido com rainha vermelha, por conta de algumas semelhanças, mas o contexto não podia ser mais diferente, enfim EU AMEI!
    Parabéns pelo post, ficou ótimo.
    Beijos!

    • Juliane disse:

      Lari, eu sou a louca das distopias!
      Não sei se é parecido com Rainha Vermelha, lembro que tive que parar a leitura pois não curti o livro. Já Desintegrados (e Fragmentados) sou apaixonada!
      Obrigada pelo carinho!
      Beijos!

  2. janaina silva disse:

    Oi,não li os livros ainda. Distopias são sempre uma novidade para mim.
    Mas todas as vezes em que leio comentários posiivos como o seu,sobre algum livro,fico curiosa em conferir a história.
    Confesso que me senti um pouco perdida lendo a resenha,por não ter lido o primeiro ainda.
    Mas pretendo remediar isso.

    Se eu pretendo ler?
    Sim!!!!!!! 🙂

    • Juliane disse:

      Oi Janaina, tudo bom?
      A série Fragmentados é uma que tem um lugar extra especial no meu coração!
      Volta aqui pra me contar o que achou depois de ler!
      Beijos!

  3. Joicy disse:

    Fragmentados já estava na minha lista de leitura, com uma premissa daquelas não tinha como não colocar!
    A capa de Desintegrados me decepcionou um pouco, depois de uma capa tão legal como a de Fragmentados eu esperava um pouquinho mais =/.
    Eu ainda não tenho certeza sobre o que eu penso de livros que são narrados por muitos personagens, isso me faz temer que eles não sejam desenvolvidos o suficiente, ainda que aumente o alcance do enredo e a ambientação do livro.
    Como funciona esse clube literário que você participa? Não conheço muitos -ou nenhum- clube literário por aqui (Goiânia) =/.
    Eu gosto de distopias, e gosto ainda mais de livros que nos levem à pensamentos críticos, então obviamente que vou colocar esse na minha listinha também <3 !!!

    • Juliane disse:

      Oi Joicy, tudo bem com você?
      Confesso que a capa de Desintegrados também não me agrada, mas não tive o que reclamar porque a história é sensacional!
      Sobre o desenvolvimento dos personagens, o Neal faz isso muito bem, mesmo com vários narradores e o que parece ser poucas páginas.
      Você também é de Goiânia? Aqui fomos juntando amigos e amigos de amigos que gostavam de ler, criamos um grupo e nos reunimos uma vez por mês para conversar sobre os livros que lemos e várias outras coisas. Quando tiver um tempinho, procura por Inklings Goiânia no Facebook, lá tem uma fanpage e instruções sobre como participar!
      Depois volta e me conta o que achou da distopia!
      Beijos!

  4. Mirian Kely disse:

    Desde que o primeiro livro foi lanço eu já demonstrava interesse na série porque achei legal a historia que o autor nos apresentou. E o tanto de assunto que esse livro aborda me deixou curiosa. Neal já me ganhou com seus livros.

    • Juliane disse:

      Oi Mirian,
      Fragmentados é minha série favorita do autor até então, mas estou de olho em o Ceifador, dele também, publicado pela Companhia das Letras.
      Abraços!

  5. Diego França disse:

    Olá, Ju!
    Menina você escreve lindamente bem. Adorei o blog, todo organizadinho. <3
    Nunca li fragmentados, mas recebi o Desintegrados – como faz?
    Bom saber mais de como é a história porque nunca tinha lido (sério) nada sobre ele. Acho que nem tenho vontade de ler inclusive. Mas como disse você brilhou na resenha e que bom que foi uma leitura satisfatória.

    Bjinhos.

    Diego, Blog Vida e letras
    http://www.blogvidaeletras.blogspot.com

    • Juliane disse:

      Oi Diego!
      Seu blog também é uma fofurinha ein, eu dei uma olhada 🙂
      A NC disse que quem quiser ler um livro mas for o segundo de uma série, pode pedir o primeiro em ebook pra eles por email, vê com eles.
      Se tiver a oportunidade de ler a série toda, leia, é uma das minhas favoritas!
      Depois volta aqui pra me contar como foi!
      Beijos!

  6. Kemmy disse:

    Realmente foi muito bom ver o amadurecimento do Lev e pelo jeito nesse segundo volume isso está ainda mais explícito!
    Fragmentados foi uma das minhas melhores leituras desse ano e eu nem sabia que teria continuação quando cheguei ao fim, sorte que eu terminei em um dia e tipo, uma semana depois foi lançada a continuação hahaha não aguentaria esperar tanto tempo!
    Mas na verdade eu estava com medo de me decepcionar, sabe? O primeiro foi tão ótimo e tem aquela coisa da maldição do segundo volume… mas com você fazendo tantos elogios já fiquei mais tranquila. Quero ler o quanto antes 😀

    • Juliane disse:

      Oi Kemmy, tudo jóia?
      É bom demais terminar um primeiro livro e além de descobrir que ele tem continuação, que ela está perto de sair né?
      Foi assim comigo e The kiss of deception e hoje sou apaixonada na série!
      Entendo bem da maldição do segundo volume hehe, mas esse não caiu nesse limbo, pode ir sem medo!
      Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *