Inesquecível, Jessica Brody

inesquecível, unremembred, violet, seraphina, zen, diotech, jessica brody, rocco, rocco jovens leitores, amnésia, medalhão, 1609, cody

Quando uma adolescente de 16 anos acorda no mar, em meio aos destroços de um acidente aéreo, sem memórias, sem pistas do seu passado, ela precisa começar uma nova vida e tentar juntar as peças de sua identidade. Já que não parece existir registros de sua vida antes do acidente, a misteriosa sobrevivente passa a ser chamada de Violet pela equipe do hospital. E após sua liberação é adotada por uma típica família americana enquanto espera uma solução para seu caso. Em uma nova casa, Violet começa a descobrir pequenos prazeres, como o sanduíche de queijo, fazer compras e a se adaptar a esta nova realidade, mas uma hora a verdade virá a tona. Vem saber o que a obra Inesquecível tem para oferecer:

Violet acorda em pleno mar, sem saber como foi parar ali, daonde veio ou para onde ia. Ao seu redor ela vê vários corpos e estruturas de metal boiando. Quando o socorro chega, ela não sabe responder nenhuma das perguntas deles, nem mesmo seu nome. E quando questionada sobre o ano que achava estar, a adolescente responde: 1609. Ela é a única sobrevivente do vôo com destino ao Japão, do qual não existe registro de seu embarque. Ou até de sua existência.

A adolescente é encaminhada para o hospital e depois de um bom tempo sob cuidados médicos começa a retomar consciência e conseguir se manter acordada por mais tempo. Ela nutre um carinho especial pela enfermeira Kiyana, que é a única que parece lhe tratar como humana. A ela é atribuído o nome de Violet por causa da cor de seus olhos. Entre a amnésia e as constantes especulações sobre sua origem, a protagonista sonha com um rapaz. Um jovem que se diz preocupado com ela e que tenta a tirar do hospital. Mas tudo foi um sonho e ele nunca esteve lá de verdade. Ou esteve?

É muito mais complicado esquecer-se de quem você é do que simplesmente esquecer seu nome. É também se esquecer dos seus sonhos. Das suas aspirações. Do que faz você feliz. Do que você reza para que jamais lhe falte na vida. É ver a si mesmo pela primeira vez e não ter certeza de sua primeira impressão.

Violet descobre que a encontraram com pingente, do qual não existe nenhum registro de origem ou pista para ajudar a solucionar algum dos mistérios que a envolvem. No medalhão, uma marcação que ela não consegue decifrar: S + Z = 1609. Ela descobre ainda que possui uma tatuagem no punho, uma linha fina que não trás nenhuma recordação. Por fim, já que não há nada de errado com a adolescente e nenhuma família a procurou ou identificou, Violet recebe alta do hospital e é designada para ficar sob a custódia da família Carlson, longe dos repórteres e fotógrafos, até que seu caso seja solucionado.

Abro o pingente de coração e observo o vazio, pensando no que poderia ter estado ali dentro. O que poderia ter se perdido no mar junto com as lembranças de minhas comidas preferidas, viagens de carro e acampamentos de verão.

Com a ajuda de Scott e Heather, Violet passa a descobrir coisas que as garotas de sua idade gostam de fazer. Eles ainda a levam para conhecer shoppings e restaurantes. Cody, o filho do casal, em especial, é o que mais ajuda a protagonista, seja embarcando em viagens de ônibus em busca de perguntas que não a deixam dormir ou a ajudando a decifrar como a internet funciona. O rapaz misterioso de seu sonho é muito real e está a seguindo, alegando que é para a proteção dela. Em uma das vezes que se topam, ele afirma que o nome dela não é Violet e sim Seraphina e que a única que ela lembra é uma passagem de uma obra de Sheakspeare, de 1609. Sem saber em quem confiar, com mais dúvidas do que certezas e com medo de colocar a família que lhe abrigou em perigo, Seraphina foge de casa, em busca das lembranças que lhe dirão quem ela é. Ou o que ela é.

Acho irritante que precise ser lembrada dessas coisas que parecem tão fundamentais. Tão humanas.

inesquecível, unremembred, violet, seraphina, zen, diotech, jessica brody, rocco, rocco jovens leitores, amnésia, medalhão, 1609, cody

    Minha opinião

A narração de Inesquecível é em primeira pessoa e os capítulos são curtinhos. Apesar disso a ambientação inicial é bem lenta, independentemente de não estar sendo introduzido um novo mundo ou uma sociedade muito diferente da nossa. Algumas respostas, sejam elas confiáveis ou não, só começam a surgir lá pela metade do livro, o que me deixou um pouco frustrada. Mas a boa notícia é que depois disso a história decola e fica muito mais interessante. O fato de o leitor não saber em quem pode confiar, assim como a protagonista, cria uma cumplicidade com ela, além da necessidade de ficar atento a qualquer pista que a autora tenha deixado perdida no texto.

inesquecível, unremembred, violet, seraphina, zen, diotech, jessica brody, rocco, rocco jovens leitores, amnésia, medalhão, 1609, cody

E a pergunta que verdadeiramente começa a me atormentar: se aquele garoto – aquele que diz se chamar Zen – estiver mesmo mentindo, por que todas as respostas dele fazem sentido?

Inesquecível superou minhas expectativas e seguiu por um rumo que eu não estava esperando. Gosto de livros que questionam onde começa e acaba nossa humanidade e esse mostrou uma abordagem diferente do que estou acostumada a ler. Mas, quero deixar avisado que a autora deixou mais pontas soltas do que respondeu as questões que levantou. Para quem não consegue esperar por respostas, talvez seja melhor esperar o lançamento do segundo livro da série. A edição da Rocco está muito linda e achei nossa capa mais bonita que a original. Não notei nenhum errinho ou problemas com a tradução, o que é um bônus!

Não sei no que acreditar. Não sei em quem confiar. Não posso confiar nem mesmo na minha mente. Quero escapulir para baixo desta mesa e jamais sair daqui. Quero nadar para o mar e nunca mais voltar. Eu só quero fugir.


 
Título: Inesquecível (Unremembered, Unremembered #2)
Autor: Jessica Brody
Editora: Rocco
Número de páginas: 416
Lançamento: Janeiro/2017
Comprar (Amazon – R$ 31,67 em 23/03)
 
 
 

AWTR ASSINATURA PARA BLOG3

 

*ESTE POST PARTICIPA DA PROMOÇÃO DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE ABRIL!*

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

2 Discussion to this post

  1. Larissa Costa disse:

    Quando comecei ler a resenha achei que o livro seria super previsível é fácil de entender, mas ao final percebi que é provavelmente cheio de reviravoltas e surpresas. Gostei muito do post e principalmente do fato de inicialmente chamarem ela de Violet, que é o nome de uma das protagonistas de Por Lugares Incríveis, meu livro favorito!

    • Juliane disse:

      Eu adoro Por lugares incríveis, sabia que foi a primeira resenha aqui do blog?
      Mas meu personagem favorito era o Finch
      De certa forma, as duas Violets tem muito em comum: são duas personagens fortes e que lutam pelo que acreditam!
      Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *