Desconstruindo Una, Una

Há um tempo atrás vi que a Editora Nemo traria ao Brasil uma porcentagem maior de quadrinhos feitos por mulheres. Essa notícia coincidiu com minha aproximação ao feminismo e estudo do tema. Lembro de mensagens de agradecimentos, de alegria com essa nova abordagem em um mercado que é tão complicado. E lembro também das reclamações sobre a atitude da editora, porque parecia não ser necessário para alguns leitores discutir assuntos do universo feminino, sobretudo pelos relatos de uma mulher, e foi aí que tive uma pequena mostra de porque precisamos sim desses livros, porque precisamos sim ouvir e conversar sobre isso.

Quando mulheres ganham espaços (ainda mais aqueles que são os ditos “masculinos“), muitos homens podem sentir que estão perdendo lugar e não entender que é só uma questão de dividir. Que não é só sobre mulheres, é sobre a sociedade que você vive, e é saudável escutar opiniões que podem divergir da sua e aprender com elas.

Desconstruindo Una traz uma vivência sobre o universo feminino, é sobre o que uma mulher passa, ou o que todas nós passamos em algum momento de nossa vida, é uma leitura densa e viva. Una narra o caso de um assassino em série dos anos 70 que tem como foco mulheres, a princípio as prostitutas, e a polícia trabalha com imaginação limitada que influenciam seus atos: osso do ofício, elas estavam sujeitas a isso mesmo, elas estavam no lugar errado, na hora errada, fazendo a coisas errada.

“Sabemos que a violência contra mulher não é algo raro.
Sabemos que a maioria das vítimas não fala e não denuncia.
Sabemos que a maioria sofre abuso de alguém que conhece.”

Paralelamente, Una conta seus próprios abusos, alguns sofridos antes mesmo que ela soubesse o quanto era errado, ainda que sentisse incomodo com aquilo.

A culpa que a maioria das vítimas carrega dentro de si cresceu junto com ela, o silenciamento de seu sofrimento e o aprisionamento que uma mulher passa pelo simples fato de ser isso: uma mulher.

 

Título: Desconstruindo Una (Becoming Unbecoming)
Autor: Una
Editora: Nemo
Número de páginas: 208
Lançamento: 2017
Comprar (Amazon – R$ 37,16 em 15/04)

 

 

 

Related Posts

3 Discussion to this post

  1. Larissa Costa disse:

    Nossa, com esse pouquinho já percebi a intensidade e a importância de se ler esse tema! Nós mulheres ganhamos espaço sim na sociedade, mas não estamos expulsando ninguém desse espaço, apenas querendo dividir! Adorei o post ❤

  2. Meu Deus, como eu não conhecia esse livro?
    Vou confessar: quadrinhos raramente me atraem. Mas saber que esse foi produzido por uma mulher me deixou bem curiosa, principalmente pelo tema tratado. É bem assim mesmo, quando as mulheres começam a se inserir em um mundo “masculino” alguns homens se sentem ofendidos, ameaçados ou sei lá, mas é tudo questão de igualdade.
    Deve ser tenso acompanhar os relatos de abusos, mas deve ser muito esclarecedor também. Já adicionei na minha lista!
    Beijos

  3. Isaa Tavares disse:

    Que interessante! Eu não sou muito adepta a quadrinhos, mas acredito que faça sentido quando o tema é realmente importante, né?! Fiquei curiosa, Lary!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *