Sangue no olho, Lina Meruane

Sabe essas promoções da Black Friday que te incentivam a comprar mesmo sem você ter dinheiro? Pois é, foi em um desses dias dos dividendos que adquiri, a preço de banana, um romance. Sempre compro livros pela beleza da capa e pelo título, nem olho quem escreveu e esse me conquistou pelo nome: Sangue no olho. É quando você pensa que vai ler algo parecido com o filme argentino, Relatos Selvagens, dirigido por Damián Szifron, ou seja, puro ódio e explosões de raiva; sabe aquela sede por vingança?

Então, não é bem assim. É a história de Lina Meruane, personagem e narradora do livro (a autora usa esse pseudônimo para assinar seus livros). Ela tem diabetes e por complicações há um derrame de sangue nos olhos de Lina que fica cega. Sim, o titulo do livro é literal. São olhos cheios de sangue, tampados pelos líquido vermelho.

Uma escrita a la José Saramago, dentro da tradição de literatura da cegueira e foi o primeiro livro da Meruane publicado no Brasil. Mas está longe de ser tradicional, primeiro, a escolha estética do livro é cuidadosa, a capa nos faz lembrar sangue, fogo, sol, porém tudo embaçado, é uma visão confusa. As páginas vão escurecendo à medida que avança a leitura, do papel bege ao grafite. As cores levam os sentimentos, nos levam a entender a cegueira em que Lina está submersa.

A autora cresceu com pais médicos, assim como os da personagem, algumas coincidências nos fazem pensar que é uma autobiografia, mas são coincidências romanceadas. Os diagnósticos no romance foram aprendidos na mesa, durante os momentos de comida com a família

Proibidos os arroubos carnais, porque até mesmo num beijo apaixonado as veias podiam se romper.”

Minha opinião

Lançado pela Cosac Naify, não é um romance sobre o amor, é um romance sobre a doença. É uma história de aprendizagem, aprender a ser cega, aprender a ser livre e independente enquanto não enxerga. No seu aprendizado, ela se apoia em Ignácio, seu companheiro que durante o processo se torna um tirano que sufoca toda a liberdade de Lina. A tirania do cuidado também reina na relação dela com a mãe. Aliás, a família de classe média, que mora em Santiago é um exemplo da tradicional família de classe média latino-americana, presente e ausente, distante e sufocante, que ama e foge dos problemas, a contradição em forma de pessoas.

Ela se atirou no meu pescoço, minha mãe. Era uma medusa, uma água-viva, um flagelo do mar, um organismo de corpo gelatinoso e tentáculos que provocam urticária.”

A personagem é escritora e uma viajante que se isola em áudio-romances para esquecer a cegueira ou simplesmente para não sair de casa. Porém, o estar em casa não é fácil, a casa está empunhando armas contra ela. Cada móvel torna-se um obstáculo, cada quina uma armadilha e ir ao banheiro pode ser uma aventura que ao final a encherá de hematomas. Como viajar se não é possível nem ir ao banheiro?

Aquela raiva esperada, a vingança anunciada na capa está estampada em todas as páginas. Lina sente ódio dela, do médico, do namorado, do mundo. Uma raiva contida e reprimida e que está a espera para sair, talvez, pelos olhos de sangue.


Título: Sangue nos olhos (Sangre en el ojo)
Autor: Lina Meruane
Editora: Cosac Naify
Número de páginas: 192
Lançamento: 2015

Comprar (Amazon – R$ 22,60)

 

 

 

 

* Este livro foi adquirido pela leitora. A política do blog é de sempre fazer resenhas sinceras, independentemente de como o livro chegou até nós. A opinião relatada aqui veio da experiência literária da autora do post e não sofreu nenhuma influência que não tenha sido explicitada na resenha.

* ESTA RESENHA PARTICIPA DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE AGOSTO *

Jordana Barbosa

Jornalista que odeia jornais. Troco amores por torresmo. Meu nome significa água que corre e é perto da água que encontro paz.

Related Posts

4 Discussion to this post

  1. Janaina silva disse:

    Essas promoções repentinas,sempre nos deixam ansiosas para adquirir mesmo que apenas um livro.
    Eu me identifiquei com você! 😉

    E lendo a sua resenha,acredito que acertou em cheio por ter escolhido esse livro.
    Achei incrível como a autora leva o leitor,a tentar entender pelo menos um pouquinho todo o processo difícil da personagem Lina.

    Acredito que deve ser uma leitura bem densa. E gostaria de ler.

  2. laura disse:

    oie nunca li este livro nem conhecia mais parece ser muito bom sua resenha me deixou com mais curiosidade aida hehe
    vou ler ainda mais que em esta promoção ne haha . Amei a personagem Lina ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *