O Sol Também é uma Estrela, Nicola Yoon

Arqueiro, Jovem, Coreano, Negra, Romance, Nicola Yoon, Resenha, Imigração, Empatia

Em um único dia a vida das pessoas pode mudar de forma irreparável. Ações impulsivas, atitudes completamente impensadas e o emaranhado que é viver uma sociedade tão ampla. Natasha e Daniel percebem essas coisas um com o outro, e vamos aprendendo com eles o sentido de ser perseverante, ver oportunidades e tentar. Um dia são 24 horas completas, fato que pode fazer tudo mudar, ainda mais se formos abertos quanto a isso.

Natasha é uma imigrante ilegal que se mudou da Jamaica muito pequena. Ela mal se lembra de quem era lá, tudo que conhece é sua identidade enquanto cidadã americana, enquanto alguém que teve uma vida moldada para as oportunidades da vida em Nova York. A conhecemos em seu provável último dia nos Estados Unidos, a conhecemos tentando seus últimos recursos para ficar no lugar que chama de casa, quando ela vai se encontrar com alguém do Serviço de Imigração que pode salvar seu dia.

Daniel é o segundo filho de um casal de coreanos que foi para os Estados Unidos atrás de melhoria, atrás de novas e boas oportunidades para seus filhos. Charlie, o irmão mais velho de Daniel é sempre o melhor, o perfeito, e graças a uma falha que ocasiona em um afastamento momentâneo em Harvard, cria-se uma pressão nunca antes sentida nas costas de Daniel. Ele não deve falhar, ele deve ser um grande médico formado em uma grande universidade. Na verdade, ele quer ser um poeta, mas há obrigações que um americo-coreano tem com sua família.

Existe uma série de ações que ocasionam o encontro dos dois. Natasha e Daniel, duas pessoas de mundos tão diferentes, são colocados juntos em um momento que os aproxima. É claro que Daniel sente atração a primeira vista, e Natasha é totalmente cética. O rapaz tem a alma de um poeta — o que é de fato o seu plano real para um futuro — e propõe um desafio: há um teste com 36 perguntas que garante que as pessoas envolvidas se apaixonarão.

[…] Acho que isso é Deus. Deus é a conexão com a melhor parte de nós.

É um dia muito intenso. Coisas demais parecem acontecer, ainda mais quando Natasha parece prestes a deixar o país. Não se pode fazer muitas promessas quando o destino é tão incerto, o amanhã é realmente algo inesperado, estranho e com possibilidades tão amplas quanto só a matemática pode explicar. Natasha e Daniel parecem se dar conta disso com um pouco de peso demais. Eles aceitam o desafio, ele com esperança e ela com curiosidade, porém ambos vivem aquele dia com intensidade, com paixão — como todos os dias deveriam ser.

[…] Achamos que queremos ter todo o tempo do mundo com a pessoa que amamos, mas talvez a gente só precise do contrário. Só de uma quantidade de tempo finita, para acharmos que o outro ainda é interessante. Talvez não precisemos do segundo e do terceiro atos. Talvez o amor seja melhor no primeiro.

    Minha opinião

Eu me encantei com as escrita da Nicola em “Tudo e Todas as Coisas”, foi um dos melhores livros que li ano passado. Tristemente, eu acabo percebendo que leio menos livros escritos por mulheres do que gostaria, ainda menos mulheres negras. Aos poucos vou tentando trazer mais diversidades e ver o ponto de vistas que outras vivências podem trazer na minha vida. Nicola tem total propriedade para embasar sua protagonista, e em “O Sol também é uma estrela” ela ainda acrescenta o fator de ser imigrante nos Estados Unidos.

O livro, além de muito bem escrito, nos apresenta personagens profundos, interessantes, fáceis de se admirar. Como esse livro temos uma premissa interessante de que tudo está conectado, de que a sociedade é realmente uma grande teia, Nicola traz subtramas para aqueles personagens que quase não aparecem, mas que tem alguma importância. Então, podemos entender que para um grande protagonista se formar, existe o apoio de uma série de personagens por trás. Também é interessante quando se pensa na nossa vida, quando realmente tentamos não nos enxergar no centro, mas sim perceber que cada uma tem a sua história, e não podemos ignora-las ou sermos tão autocentrados.

Arqueiro, Jovem, Coreano, Negra, Romance, Nicola Yoon, Resenha, Imigração, Empatia

Tudo acontece de forma muito fluida, alguns capítulos são narrados por Natasha e outros por Daniel, ambos em primeira pessoa. Também há capítulos narrados por outras pessoas, como o Condutor do trem, um motorista de trânsito ou o pai de Natasha, outros capítulos são sobre coisas, das mais diversas, e esses são em terceira pessoa. Como tudo tem que ser rápido, ágil, achei a Nicola bastante cuidadosa, e por ser um casal de adolescentes, foi muito crível o envolvimento deles da forma que foi.

Indico esse livro sem medo, os temas são muito importantes, o preconceito, a dificuldade de algumas culturas podem enfrentar e refletir sobre a empatia, sobre a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa. A capa, feita pela australiana Dominique Falla é além de linda, completamente ligada ao sentido da história.

Título: O Sol também é uma Estrela (The Sun is also a Star)
Autor: Nicola Yoon
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 288
Lançamento: 2017
Comprar (Amazon – R$ 23,70)

 
 
 
 

* ESTA RESENHA PARTICIPA DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE JULHO *

Related Posts

5 Discussion to this post

  1. Janaina silva disse:

    Li “Tudo e Todas as Coisas”,e adorei a escrita da autora. Ela nos trás personagens completamente diferentes dos que habitualmente lemos por aí.
    E também tenho muita vontade de ler ” O Sol também é uma Estrela”.
    São dois jovens,completamente diferentes e com um destino incerto.
    Não sei como a autora fará esses dois jovens terem algum tipo de envolvimento em apenas um dia…
    Mas fiquei bastante curiosa como tudo acontecerá.

    Esse ainda vou ler. 😉

    • Laryssa Tavares disse:

      Sim, a Nicola consegue trazer uma diversidade que a gente vê pouco e que a gente precisa ver mais na literatura porque é o pessoal que é gente de verdade. Precisamos de mais representatividade, essa é a verdade.
      Se você gostou de “Tudo e Todas as Coisas” quase certo que vai gostar desse também, volta depois pra dizer o que achou!

  2. Laura disse:

    Oiê
    Eu to loca ara ler este livro sabe? E sua resenha me deixou mais ansiosa ainda hehehe só vejo comentários positivos sobre e é muito bom os livros que nos fazem refletir né
    Não vejo a hora de ler resenha maravilhosa
    Beijos

    • Laryssa Tavares disse:

      Olá, Laura
      O livro é muito bom mesmo, e acho que é ótimo colocar a gente pra pensar mais nas coisas ao nosso redor. Ler tem um poder grande na nossa vida, né?
      Beijos!

  3. laura disse:

    oie
    ja vi muito comentarios sobre este llivro e eu estou loca para ler haha sua resenha me deixou ainda mais curiosa haha nao vajo a hora de ler . Eu tambem amei a capa e e muito bom livros que nos fazemm refletir sobre ne.
    beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *