Um tom mais escuro de magia, V.E. Schwab

londres branca, londres preta, londres cinza, londres vermelha, rhy, kell, lila, holland, talismã, ladra, contrabandista, irmão, realiza, rei, principe, magia, antari

Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Por fim, embarcam em uma jornada a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina.

Houve uma época em que era permitido atravessar entre as diferentes Londres: a branca, a cinza, a vermelha e a preta. Mas isso não era mais possível, já que as portas entre elas não existiam mais. As únicas pessoas ainda capazes de transitar entre as cidades eram os antaris. E mesmo eles foram se extinguindo com o passar dos séculos, a medida que sobraram somente dois conhecidos vivos: Kell e Holland. Eles eram responsáveis por levar a correspondência entre os diferentes reinos.

A rotina, as sociedades e a realeza de cada Londres eram influenciadas diretamente pela magia, ou a inexistência dela. Na Londres Vermelha, ela era conhecida e cada um buscava despertá-la de uma forma. Na Cinza, a população sequer sabia da existência dela. Já na Londres Branca, a magia, considerada estar ligada ao sangue de cada pessoa, havia se tornado uma coisa muito perigosa, passível de ser tomada. A qualquer custo.

Fogo era um pouco mais complicado, mas o elemento mais difícil de ser comandado era de longe o pedaço de osso. E por uma boa razão. Quem conseguia mover ossos conseguia mover corpos. Era a magia mais poderosa, mesmo na Londres Vermelha.

Kell é o antari da Realeza Vermelha e fora adotado aos 5 anos. Ele não tem nenhuma memória de sua vida anterior a esse fato. As regras são claras: nenhum objeto pode ser transportado entre Londres distintas. Porém Kell é um contrabandista e transita pequenos souvenirs e bugingangas entre as cidades para pessoas que estejam dispostas a pagar seus preços. Além de complementar, aos poucos, sua coleção pessoal. Seu irmão Rhy é a única pessoa que tem conhecimento sobre seu segredo e, sempre que o antari parte em uma nova missão, faz o irmão prometer que não trará nada de sua viagem. E Kell sempre quebra essas promessas.

londres branca, londres preta, londres cinza, londres vermelha, rhy, kell, lila, holland, talismã, ladra, contrabandista, irmão, realiza, rei, principe, magia, antari

Três Londres completamente distintas em três países completamente distintos, e Kell era uma das poucas almas vivas a ter visto todas elas. A grande ironia, supôs, era a de nunca ter visto os mundos além das cidades.

Na Londres Cinza, Lila é uma ladra habilidosa, morando em um navio abandonado e com grandes ambições. Ela quer juntar uma quantidade suficiente de dinheiro e partir em seu navio para longe de sua vida atual. Porém, segue cometendo uma série de pequenos delitos e se afastando cada vez mais da sonhada liberdade. Ela é procurada em sua cidade. Não sabemos nada sobre seu passado e a pessoa com que ela mais chega perto de se importar é Barron, o dono de uma taverna local onde ela costumava se hospedar. Em uma de suas noites a procura da próxima vítima, esbarra em um jovem esguio, com um olho azul e o outro totalmente preto. É claro que ela não hesita em roubá-lo. Agora Kell tem que recuperar o que lhe foi tomado antes que mais pessoas se metam em apuros. Antes que seja tarde demais.

Teria sido fácil pôr um fim à troca de correspondências e deixar a Londres Branca à mercê da própria decadência, mas a coroa vermelha não poderia. Não o faria. Sentiam-se responsáveis pela cidade agonizante. E eram.

Minha opinião

Estou de olho em Um tom mais escuro de magia desde que foi lançado e criou-se o hype em torno dele lá fora. A guardiã de histórias chegou aqui antes e já me apaixonei pela escrita de V. E. Schwab. Ao mesmo tempo que gostaria de ter tido tempo de ler o livro antes, não me arrependo de ter lido só agora, pois o segundo está próximo de ser lançado e não terei que esperar tanto pela continuação.

Rhy estava certo. Nada de bom podia vir dessas transações. Nada bom o bastante. Não valia a pena. As bugigangas que ele negociava não lhe traziam paz. Era apenas um jogo idiota. E já era hora de parar.

A narração é feita em terceira pessoa e embora saibamos o que acontece na maior parte do tempo, ora estamos acompanhando Kell outra ora outros personagens. Por falar nele, Kell é um personagem adorável e muito gentil, embora muito azarado e que está entrando em uma encrenca atrás da outra. Ainda bem que Lila está sempre por perto para ajudá-lo. Ela, por sinal, passa longe de ser uma donzela em perigo esperando para ser salva. Pelo contrário, ela é quem está salvando Kell e os outros. Rhy é outro personagem que gostei muito e adorei o fato de a autora tê-lo feito tão identificável.

londres branca, londres preta, londres cinza, londres vermelha, rhy, kell, lila, holland, talismã, ladra, contrabandista, irmão, realiza, rei, principe, magia, antari

A garota meneou o queixo, e havia algo forte e desafiador em seus olhos e nas linhas de sua mandíbula. Uma provocação. E então ela sorriu. Não com a boca inteira, apenas as extremidades, e Kell pensou (de um modo distante e tonto) que em outras circunstâncias eles poderiam ter sido amigos.

Um tom mais escuro de magia é um livro grande e levei vários dias para concluir a leitura. Entretando ela não se tornou monótona ou repetitiva em nenhum momento. Todas as informações fornecidas foram necessárias e embora não tenham sido utilizadas imediatamente no livro, foram muito bem interligadas posteriormente. Foi possível criar empatia pela maioria dos personagens e lamentei muito a morte de alguns. Pelo que a autora revelou em seu twitter, o segundo livro terá mais mortes ainda. Ai ai. Fica aqui a recomendação, sem restrições.

Essa coragem era fachada ou ela realmente tinha tão pouco a perder? No mínimo, tinha a própria vida, algo que sempre podia ser perdido. Como ela poderia não temer nem mesmo a morte?

londres branca, londres preta, londres cinza, londres vermelha, rhy, kell, lila, holland, talismã, ladra, contrabandista, irmão, realiza, rei, principe, magia, antari
Título: Um tom mais escuro de magia (A darker shade of magic)
Autor: V.E. Schwab
Editora: Record (Grupo Editorial Record)
Número de páginas: 420
Lançamento: 2016
Comprar (Amazon – R$ 23,70)
Leia um trecho
 
 
 

* Este livro foi enviado pela editora do mesmo. A política do blog é de sempre fazer resenhas sinceras, independentemente de como o livro chegou até nós. A opinião relatada aqui veio da experiência literária da autora do post e não sofreu nenhuma influência que não tenha sido explicitada na resenha.

* ESTA RESENHA PARTICIPA DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE AGOSTO *

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

15 Discussion to this post

  1. Janaina silva disse:

    Oi,sem dúvida alguma,está aí um livro que eu gostaria muito de ler.
    Apesar de não ser tão fã assim de distopias( será que esse livro é? 🤔),gostei desses lugares divididos,e com somente um personagem ,podendo ir de um lugar a outro.
    Além de ficar curiosa em conhecer a ” ladra aventureira” Lila. Tão cheia de personalidade!

    Gosto muito de tramas cheias de aventura,e esse livro promete isso.

    Gostei da resenha. E adorei a trama! 🙂

    • Juliane disse:

      Oi Janaina, tudo joia?
      Um tom mais escuro de magia tem poucos traços de distopia, ele pode ser considerado mais fantasia 🙂
      A Lila é maravilhosa. Tenho certeza que você não vai se decepcionar com essa leitura!
      Beijos!

  2. Dai Castro disse:

    Eu achei a escrita da autora bem envolvente quando li “A Guardiã de Histórias” a construção do mundo foi tudo bem interessante, mas achei que a história acabou perdendo um pouco o foco e esses detalhes prejudicaram bastante a minha experiência de leitura. Porém, Um tom mais escuro de magia se trata de outra trama, outro mundo e acho que daria sim uma chance, principalmente após ter lido essa e outras resenhas positivas!
    Beijos ♡

    • Juliane disse:

      Oi Dai! Eu percebi que a maioria das pessoas se frustrou um pouco com A guardiã de histórias, mas eu curti bastante.
      Gostei bem mais de Um tom mais escuro de magia, mas estou a espera da continuação do outro também 🙂
      Quer ler sua resenha depois, acho que você vai gostar muito desse livro!
      Beijos!

  3. Thais disse:

    Estou simplesmente louca por esse livro. não li ainda mas sua resenha me deixou com gosto de quero mas . bjus

  4. Lara Torch disse:

    Amei sua resenha, mais um livro na minha enorme lista que tenho ainda para comprar. 😂😂😍

    • Juliane disse:

      Vale ficar de olho nas promoções, acho que comprei um exemplar dele por R$ 20 em uma das promoções da Amazon!
      Beijos 🙂

  5. Mara disse:

    Oiiii, eu olho essa capa e acho ela tão instigante, mas ainda não tinha parado para ler a sinopse e nenhuma resenha…. E adorei ter conhecido através de vc! Sua resenha tá ótima e me deixou curiosa de uma vez por todas sobre o livro…

    Um abraço!

  6. Jose Marcos Rodrigues disse:

    Otima resenha! fiquei balançado a ler o livro, mas já tenho bastante coisa da universidade, mas vou colocar ele na minha lista, ficou muito boa mesmo, gostei bastante <3

    Abraços, Jose Marcos [Flora Literária]

  7. Lara Caroline disse:

    Oi Juliane, tudo bem?
    Faz um tempão que estou querendo ler este livro, mas para a minha tristeza ainda não consegui. Achei muito legal essa ideia de existir Londres distintas, eu tenho vontade de conhecer Londres,imagina só poder conhecer 4 versões dessa cidade.
    Adoreia resenha, só me deioxu com mais vontade de ler.
    Beijos

  8. Pamela Liu disse:

    Oi Juliane.
    Achei a trama de Um tom mais escuro de magia bem interessante! Faz tempo que não me interesso por um livro de fantasia!
    A ideia de ter Londres distintas separadas por portais e com poucas capazes de transitar entre elas é bem curioso.
    Kell, Lila e Rhy parecem ser ótimos personagens.
    Ainda não li nada desse autor e acho que vou começar por esse livro. Já vai para a lista de desejados.
    AMEI a capa!
    Bjs

  9. Franciele Débora disse:

    Gostei do fato que autora criou varias Londres num universo de fantasia, fiquei interessada pra ler, Fiquei em cima do muro pra ler esse livro, mas, acho que vou seguir sua dica e ler. Quem eu sabe eu não goste ?
    Gostei da capa, achei linda!

  10. André dos Santos disse:

    A autora trouxe um novo vigor para a forma como a magia é retratada nos livros, ainda não li, mas só pelas resenhas já dá pra ter uma boa noção do que esperar.
    Londres por si só já é mágica e ainda mais dividida em quatro e cada uma lidando de uma forma com essa magia deve ser uma experiência interessante e curiosa, Lila tem tudo para conquistar o leitor assim como Kell, provavelmente na continuação haja um romance entre eles, mas foi muito inteligente ir desenvolvendo aos poucos e não focar só nisso como algumas fantasias atuais fizeram.
    Vou esperar a continuação sair agora na Bienal e assim já leio os dois de uma vez, espero que o segundo seja melhor que o primeiro!

  11. Nara Sabrina disse:

    Eu amo fantasia e esse livro já estava na minha lista para comprar, nunca li nada dessa autora mas sempre ouvi muito bem sobre esse livro, a ideia de uma Londres dividida em 5 partes é muito interessante, a Lila parece ser uma personagem muito forte e desconfio que entre ela e Kell pode surgir um romance, acho q vou esperar sair a continuação para comprar os dois, pois não aguento esperar a continuação de um livro rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *