As garotas de Corona del Mar, Rufi Thorpe

Amizade entre garotas pode ser intensa e, no caso de Mia e Lorrie Ann, não há dúvidas de que isso é verdade. À medida que crescem, a vida de Mia e Lorrie Ann são preenchidas com praia, diversão e passeios ao shopping. Por outro lado, como toda amizade, há conflitos e dores. Mia e Lorrie Ann convivem há muito tempo e possuem personalidades opostas. Mia é a bad girl, vivendo em uma família problemática. Lorrie Ann é linda e amável, quase angelical, e tem uma família que parece ter sido arrancada de um conto de fadas. Mas, quando uma tragédia acontece a vida perfeita sai fora de controle.

Lorrie Ann e Mia são melhores amigas inseparáveis desde crianças. Para Mia, as personalidades das garotas foram moldadas em oposição de características. Se sua amiga era romântica e angelical, ela tinha o coração de gelo. Todas as garotas invejavam a vida que Lorrie Ann tinha: pele, corpo e cabelo perfeitos e uma família estável, embora com pouco dinheiro. Enquanto Mia era mais descolada, exibida, tinha uma família barulhenta e pais separados.

Apesar das diferenças, as amigas se mantiveram juntas e apoiando umas às outras nos momentos difíceis. Mesmo quando Mia precisou fazer o aborto de uma gravidez indesejada durante o ensino médio, a amiga a acompanhou e apoiou. As garotas faziam planos juntas e jamais se separariam. Até que uma série de tragédias começou a acometer a vida de Lorrie Ann e ela nunca mais foi a mesma. Nem a amizade entre as garotas.

Sim, tínhamos inveja dela, mas ainda assim não a odiávamos. Nunca fizemos mais do que provocá-la, nós, as meninas mimadas e turbulentas de Corona del Mar, ladras de salgadinhos e refrigerante de laranja, abusadoras de brilho para os lábios e linguagem suja, filhas de falsas médiuns e flebotomistas recém-certificadas.

A primeira das tragédias foi a morte do pai de Lorrie Ann: ele foi atropelado enquanto andava de moto e acabou não resistindo aos ferimentos. A maior parte da renda da casa foi-se embora com ele. A garota engravidou ao final do ensino médio, porém, diferentemente da amiga, decidiu ficar com a criança. Lorrie Ann também casou com o pai da criança, seu namorado na época, Jim. Embora, ela tivesse tido complicações no parto, que, conforme descobrimos mais tarde, acarretaram em um tipo de paralisia em Zach, os três formavam uma família unida e feliz. A garota sabia, que ainda assim, poderia contar com sua amiga Mia.

lorrie ann, mia, zach, jim, dana, gravidez, ensino médio, faculdade, melhores amigas, corona del mar, insegurança, obsessão, filho, deficiência, drogas

A história de Lorrie Ann tornou-se aquela coisa que ficou presa em nossa garganta, mantendo-nos quietas enquanto, nervosas, escolhíamos carreiras e, com muitas dúvidas e superstições, consentíamos em nos casar com os homens pelos quais estávamos apaixonadas.

Para ter a oportunidade de dar um tratamento decente para seu filho, Jim se alistou ao exército e assim conseguir um plano de saúde que atendesse as necessidades de Zach. Mas as tragédias na vida de Lorrie Ann estavam longe de chegar ao fim. Enquanto isso, a vida de Mia prosperava abundantemente: depois de cursar Yale, engatou uma pós-graduação e estava finalmente ao lado de um cara legal. Até que recebe uma ligação de Lorrie Ann, que está na cidade dela e quer vê-la. Ao encontrar sua antiga amiga, Mia se preocupa, pois ela está descalça, maltrapilha e Zach não está por perto. O que mais pode ter acontecido à ela? Que rumo a amizade das duas tomará a partir desse reencontro?

Para ser honesta, me senti insultada porque a tristeza dela parecia de alguma forma me excluir. Eu nos imaginei chorando juntas, imaginei que a confortava. Sempre compartilhamos até mesmo as menores e mais ridículas tragédias. Mas em vez disso ela estava por trás de camadas e mais camadas de vidro.

Minha opinião

As garotas de Corona del Mar é narrado em primeira pessoa pela Mia. Intercalado às narrações estão os flashbacks e divagações da protagonista. Alguns deles foram bem explicativos, porém outros pareceram desnecessários e um pouco entediantes. Eu só queria voltar para o presente onde algo estava próximo de ser descoberto ou contado. Ainda assim, concordo que essa montagem cronológica foi melhor do que uma sequência linear. No começo do livro sabíamos como Mia se via, só mais tarde passamos a entender o porquê.

Não é que a Lorrie Ann estivesse se tornando religiosa. Não é que ela quisesse ser perfeita ou amada ou conseguir aprovação. Não.
Ela queria algo muito mais perigoso. Ela queria um sentido. E ela achava que conseguiria se seguisse as regras.

lorrie ann, mia, zach, jim, dana, gravidez, ensino médio, faculdade, melhores amigas, corona del mar, insegurança, obsessão, filho, deficiência, drogas

A obsessão da protagonista com sua melhor amiga é algo perturbador no começo do livro. E não estou exagerando ao usar a palavra obsessão: ela sentia que Lorrie Ann era a coisa mais pura e bela do universo. E que era só sua. Achei difícil me identificar com qualquer uma das duas pois uma perfeita e a outra tinha um transtorno obsessivo um tanto quanto doentio. Fora que a narração em primeira pessoa não dá tanta credibilidade assim à protagonista.

E eles me aceitaram. Eles me aceitaram e me tornei quem sou, e o custo disso foi um bebê que nunca nasceu. Esse foi o preço, e eu paguei.

Não é difícil se simpatizar com Lorrie Ann com o passar da história. A garota sofreu muito durante grande parte do livro e nada parecia conseguir derrubá-la. Conforme os capítulos iam passando se tornou mais fácil entender a relação verdadeira que Mia tinha com sua amiga e o que isso realmente representava para ela. O livro não possui um final previsível, muito pelo contrário, fiquei impressionada com a escolha da autora. Se você se interessou por títulos como Melhores amigas e Garotas de vestido branco, As garotas de Corona del Mar com certeza é uma boa pedida.

Eu sou egoísta demais para tomar decisões ruins.

teste
 
Título: As garotas de Corona del Mar (Original)
Autor: Rufi Thorpe
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 288
Lançamento: 2017
Comprar (Amazon – R$ 25,53)
 
 
 
 

* Este livro foi enviado pela editora do mesmo. A política do blog é de sempre fazer resenhas sinceras, independentemente de como o livro chegou até nós. A opinião relatada aqui veio da experiência literária da autora do post e não sofreu nenhuma influência que não tenha sido explicitada na resenha.

* ESTA RESENHA PARTICIPA DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE AGOSTO *

Juliane Oliveira

Gosto de distopias memoráveis e contemporâneos que não sejam desnecessariamente tristes. Não sou muito fã de dias chuvosos ou frios. Apaixonada por séries, livros, filmes e pets no geral.

Related Posts

34 Discussion to this post

  1. Janaina silva disse:

    Uau ,que história!!!!!
    Assim que vi a capa,imaginei que a trama fosse leve e bem juvenil. . E me enganei!
    Duas personagens com histórias de vida tão diferentes e personalidade também.
    E que apesar das diferenças, são super unidas em todos os momentos.
    E lendo a resenha e sinopse lá no comecinho,a gente imagina que o futuro da Mia não seria tão bom. E que o da Lorrie Ann,seria perfeito. A vida toma caminhos bem diferentes…

    Enfim,gostei do livro que ainda não conhecia. E adoraria lê- lo. 🙂

    • Juliane disse:

      As garotas de Corona del Mar mostra mesmo que a vida toma caminhos muito diferentes, foi uma leitura surpreendente para mim. Tenho certeza que você vai adorar o livro!
      Beijos!

  2. Nossa eu não conhecia esse livro, parece ser uma leitura forte e cheia de reviravoltas, já fiquei com dó da Lorrie, pelo jeito ela sofre muito. Fiquei curiosa pelo final também rs

    Beijos

    • Juliane disse:

      Oi Ariane, tudo jóia?
      Eu também fiquei com muita dó da Lorrie, ela sofre muito no livro.
      Se der uma chance, volte aqui depois pra dizer o que achou 🙂
      Beijos!

  3. Puxa, Juliane!
    Eu gostei muito desse livro. Para começar a diagramação parece ótima, pelas fotos que você postou e a história é de prender a respiração até terminar o livro. Gosto de livros que falem de amizade e de como elas podem mudar quando o tempo passa e a história vira. Um amigo é mesmo um tesouro! Obrigada, já está anotado! Abraços,
    Drica.

    • Juliane disse:

      Oi Drica, tudo bom? Obrigada pelo carinho 🙂
      Os livros que falam sobre amizade são muito relacionáveis né?
      Depois me conta o que achar da sua leitura, beijos!

  4. Pamella Fernandes disse:

    Sinceramente, não me interessei pela história.. Mas lendo os quotes gostei bastante da escrita da autora..
    E como assim narrador em primeira pessoa perde a credibilidade? Não entendi mto bem..
    Eu adoro narrativas em primeira pessoa.

    Abraço,
    Pamella

    • Juliane disse:

      Oi Pamella, tudo bem com você?
      Com um narrador em 1ª pessoa ficamos sabendo somente o ele nos conta (suas impressões, sua perspectiva das coisas) e isso nem sempre é condizente com a verdade. Por isso, sempre que estou lendo um livro com um narrado em 1ª pessoa já fico com um pé atrás em relação ao que ele nos conta.
      Abraços.

  5. Clayci disse:

    Eu juro que pensei que o final seria diferente.
    Na verdade a autora fez com que a gente acreditasse nisso, né?
    Achei uma carga emocional muito grande e por isso não fluiu muito bem por aqui .. Mas foi uma leitura muito reflexiva.=D

    • Juliane disse:

      Clay, eu também fiquei surpresa!
      A carga emocional e os flashbacks foram muito grandes, me desanimou um pouco. Mas não o suficiente pra desistir da leitura.
      Beijos!

  6. Vêvévi disse:

    Oi,
    Esse foi meu primeiro contato com essa história.
    Adorei a sua resenha. Achei bem completa e explicadinha. Mas infelizmente a história do livro não me interessou.
    Beijos

    • Juliane disse:

      Oi Vêvévi, obrigada pelo carinho.
      É uma pena que a história não tenha te interessado.
      Se decidir dar uma chance depois me avisa o que achar!
      Beijos

  7. Jennifer Silva disse:

    Ameei a sua resenha! Parece ser um daqueles livros que mesmo com uma grande carga dramática, você não consegue largar, pois quer muito saber o que irá acontecer com os personagens. A história parece ser muito interessante e no meio da sua resenha, eu já estava ficando emocionada com tudo de ruim que estava acontecendo com a Lorrie Ann. Estou curiosa para saber como será o desfecho final dessa história. Vou anotar a sua dica com certeza, bjss!

    • Juliane disse:

      Oi Jennifer, tudo bem? Obrigada pelo carinho 🙂
      Lorrie Ann foi uma das personagens que conheci que mais sofreu durante um livro, é impossível não se emocionar com a trajetória dela.
      Acho que você vai gostar do desfecho da história!
      Beijos!

  8. Isadora Gazote disse:

    Nossa nunca tinha visto comentários sobre esse livro e fiquei passada! Estou impressionada com o enredo e curiosa para saber o rumo dessas amigas! Eu amei sua resenha!

  9. Olá
    Adorei sua resenha, ficou super completa e bem detalhada. Também não ligo muito para uma escrita intercalada com flashbacks desde que sejam informações relevantes, as vezes os autores quer somente criar situações para sentirmos empatia pelos personagens e o tiro acaba saindo pela culatra.
    Não sei se leria o livro por hora achei drama demais para o meu gosto

  10. Mara disse:

    Amo a capa deste livro, adoro livros que falam de amizade… Já havia lido a sinopse desse livro e fiquei bem curiosa… Pela sua resenha,percebo que vale a pena mesmo encarar a leitura…. Obrigada pela dica!

  11. Leticia Golz disse:

    Oi, Juliane
    Gosto da premissa desse livro e confesso que acho essa capa linda.
    Gosto de personagens meio obsessivas, leituras assim sempre me instigam. E gostei de saber também que o final surpreende.
    Gostaria de ler esse livro um dia e adorei saber que gostou, mesmo com uma ressalva.

  12. Laneh Martins disse:

    Olá, tudo bem?

    Que história interessante. Nunca li nada desse tipo e fiquei muito curiosa para saber o que acontece! Dica mais do que anotada!

    Beijos

  13. Olá tudo bem?

    Não conhecia a obra, mas infelizmente não faz meu estilo de leitura! E ele me lembrou muito um livro que acabei de ler faz pouco tempo, então acabou que vou passar a dica, e acredito que eu não me sentiria bem realizando a leitura dessa obra, ainda mais com essa amizade entre as duas!

    Bjss

  14. Ana Souza disse:

    Não conhecia a obra, achei a capa linda!!!
    Achei o enredo curioso, com uma história diferente, Não foi uma história que me chamou muito a atenção, mas me deixou um um Q de curiosidade no ar….
    Vou anotar a sua dica!

    Beijinhos

  15. Olá!!! Ainda não conhecia esse livro e achei diferente, com uma bonita mensagem.
    Gostei da capa e da sua resenha. Tenho oportunidade, estarei lendo também.
    super bjooo

  16. Oi, Juliane, tudo bom?
    Eu estou para receber esse livro da Novo Conceito também, pois nunca li nenhum história do tipo e tinha me interessado bastante pela sinopse. A sua resenha fez com que o meu interesse crescesse ainda mais um pouco e espero que o livro não demore para chegar. Achei a relação e as tragédias muito interessantes e espero gostar tanto quanto você gostou!
    Abraços

  17. Nina disse:

    Oii
    Que história em! Achei muito interessante e fiquei curiosa para saber o que é que aconteceu com a pobre Lorrie Ann. Livros que tem finais imprevisíveis me agradam muito. <3 Vou anotar a dica.

  18. Oi Juliane.

    Eu não conhecia este livro e gostei bastante da sua opinião. As personagens parecem ter uma personalidade diferente e as história bem interessantes. Vou Adicionar na lista de desejados para conhecer a história completa.

    Bjos

  19. Karla disse:

    Olá! Gostei bastante da história do livro, pois adoro livros com dramas familiares, escolhas difíceis e amizades. Mesmo sendo uma amizade entre duas pessoas totalmente diferentes e que, assim como você, eu não consiga me identificar c os personagens. Fiquei interessada pela leitura. Beijos.
    Karla Samira

  20. Olá!
    Parece um livro intenso e cheio de surpresas. Gosto dessa temática, amigas de infância, personalidades diferente, situações complicadas. Gostei! Já adicionei na minha lista de desejados.
    Nizete

  21. Lara Caroline disse:

    Oi Juliane, tudo bem?
    Não tinha ouvido falar sobre este livro ainda, mas já estou doida para conhecer. Achei essa Mia meio doida, e quero entender essa obsessão que tinha com a amiga. Gostei da premissa, e adorei ver sua opinião sincera sobre o livro.
    Beijos

  22. Ana Caroline disse:

    Olá, tudo bem? Já tinha ouvido falar do livro por alto, mas nunca tinha procurado resenha. Essa coisa obsessiva de amizade, me deixa com pé atrás. Livros assim sempre tem capítulos entediantes, mas acredito que seja para tentar nos fazer conectar com as personagens, o que acho que nesse caso não funcionou. Confesso que não curto muito essa questão de trazer capítulos em “tempos” diferentes. Se não for bem definido, me deixa confusa, mas se funciona melhor dessa forma, confiarei em você. Dica anotada!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br/

  23. Que bom que o final não é previsível! Achei a história diferente e conheço uma pessoa possessiva com amigo desse jeito, apesar de não entrar na minha cabeça. Adoro flashbacks, mas não sei se as divagações me agradariam… Pena que teve partes desnecessárias e entediantes, mas acredito que leria ainda assim.

  24. Pamela Liu disse:

    Oi Juliane.
    As garotas de Corona del Mar tem uma trama bem interessante.
    Fiquei curiosa para saber o que aconteceu com Lorrie Ann.
    Gosto bastante quando a narrativa é alternada entre passado e presente. Acho que é uma forma de prender o leitor e fazê-lo conhecer melhor os personagens, ao saber pelo que eles passaram.
    Que bom que o final não é previsível.
    Já vou colocar esse livro na minha lista de desejados.
    Bjs

  25. Franciele Débora disse:

    Quando li a sinopse fiquei muito curiosa para saber mais sobre essa amizade, não imaginei que a história era assim tão profunda e madura. Imagino que as personagens sejam mesmo bem reais e bem mais intensas. Devo confessar que fiquei com pena da Lorrie, ela sofreu muito tadinha. E que bom que o final é surpreende.
    Vou anotar a dica aqui, beijos.

  26. André dos Santos disse:

    Pelo começo da resenha eu achei que era um daqueles casos de amizade em que os opostos se atraem e por isso as garotas se davam tão bem, mas ao final vendo que havia um toque de obsessão de Mia por Lorrie fiquei mais interessado, o uso de flashbacks parece ter sido necessário, mas a autora não usou da melhor forma, mesmo assim e tendo um final inesperado, acredito que pela quantidade de drama eu não iria gostar muito, por isso não pretendo fazer essa leitura.

  27. Nara Sabrina disse:

    Nao conhecia essa autora e nunca li nenhum dos seus livros,eu não sei se leria esse livro, a historia parece ser bem interessante mas logo de cara não me simpatizei pela Mia e achei estranha essa obsessão pela amiga, fiquei triste pelo rumo que a vida da Lorrie tomou, Espero que no final a vida de Lorrie melhore e que essas tragedias parem de acontecer com ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *