Lembra Aquela Vez, Adam Silveira

Adam Silveira, More Happy Than Not, Homofobia, Depressão, Aaron Soto

Aaron acha palhaçada o procedimento da Leteo, aquele que parece ser capaz de apagar as memórias indesejadas de alguém. Ele passou por muita coisa, e até entende o que pode levar uma pessoa a querer se submeter a isso, mas a realidade dos fatos é que ele está ali, juntando os cacos de suas batalhas para seguir adiante com sua família e sua namorada, que dão o suporte que podem nesses momentos.

A vida não parece muito fácil, nada fácil para Aaron e sua família. Eles vivem no Bronx, em um conjunto habitacional que lhe dá como lar um apartamento minúsculo. Sua mãe fica com o quarto sozinha agora que seu pai morreu. E a sala é o lugar onde Aaron e seu irmão Eric dividem para dormir e guardar suas coisas. Privacidade não é uma escolha, mas eles tentam viver da forma mais digna, sua mãe sobrecarregada com dois empregos e ele e seu irmão intercalando escola e trabalho.

– Não é nada. Não estou exatamente emprenhado em correr, mas, pelo menos, aprendi que não podemos sempre escolher quem queremos ser. Às vezes, somos rápidos o bastante para participar da equipe de atletismo. Às vezes, não somos. […}

A duras penas eles se reestruturam depois que Aaron encontra seu pai morto na banheira de casa. O suicídio dele é um golpe fatal para o garoto, que tem sua tentativa mal sucedida. Genevieve é seu ponto de cor em um mundo tão sombrio, eles tem seu jeito de lidar e ver e viver as coisas, e apesar de ele não conseguir ser ele mesmo, ou quem ela precisa que ele seja, ela está lá para tudo o que ele precisa. Seu meio que melhor amigo Brendan parece ter seus próprios problemas para lidar, e ele não está lá quando Aaron precisa. As brincadeiras dos garotos do conjunto habitacional só mostram o abismo que se abriu na amizade deles.

E é assim que Thomas entra na vida de Aaron, como melhor amigo que ele precisava, como o amigo para conversar, distrair, entender e tornar o dias mais fáceis. Genevieve é sensacional, mas ela vai para um acampamento de artistas, criar a sua arte. A vazio se preenche com a vida meio doida de Thomas, que tem um projeto muito a sério para saber quem ele é, com gráficos e tudo. O verão vai passando com os dois se divertindo e descobrindo mais um do outro, se envolvendo até que Aaron percebe que:

a. Thomas é gay e não sabe disso.

b. Ele talvez goste bastante de Thomas.

Eu esperava me sentir aliviado, mas o que sinto é a dor mais triste que já vivenciei. […]

Quando Aaron conta tudo a Thomas, como ele se sente e o que imagina sobre o amigo, as coisas saem um pouco dos eixos. Aaron não espera que as coisas se desenrolem da forma como aconteceu, não espera descobrir que sua vida é mais louca do que imagina. E não espera, de forma alguma, descobrir que a Leteo não é tão louca assim.

[…] E algumas pessoas manterão suas histórias para si mesmas, como segredos guardados no passado que só elas podem revisitar.

    Minha opinião

Eu sabia sobre a temática que o Adam Silveira trabalhava, daí meu interesse pelo livro, mas eu não sabia de forma alguma o que esperar dessa leitura. Conhecer Aaron é como conhecer alguém distante, que você até gosta, se preocupa, mas não consegue chegar perto. Em alguma instância nos identificamos, em algum momento perdemos a esperança e nos apegamos a alguma Genevieve ou Thomas para nos reerguer. Adam tem uma narrativa bem direta, crua mesmo, e é muito forte as emoções que causam. Em alguns momentos achei o livro um pouco arrastado, mas como o primeiro livro do autor, acho isso completamente compreensível.

Porque esse livro é importante? Porque tem tanta coisa ali que precisa ser discutida. A violência de forma geral, seja ela contra a mulher, seja pela homofobia, seja a violência física ou intrafamiliar. A probreza, e o que a falta de oportunidades pode levar uma pessoa a fazer. A depressão, que é um assunto tão sério, mas pouco levado em conta. E, com relação a tudo isso, o que nós fazemos conosco para estar em conformidade com que se espera de nós.

Adam Silveira, More Happy Than Not, Homofobia, Depressão, Aaron Soto

 
Título: Lembra Aquela Vez (More Happy Than Not)
Autor: Adam Silveira
Editora: Rocco
Número de páginas: 336
Lançamento: 2017
Comprar (Amazon – R$ 28,90)
 
 
 
 

AWTR ASSINATURA PARA BLOG3

* ESTA RESENHA PARTICIPA DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE DEZEMBRO *

Related Posts

2 Discussion to this post

  1. Elidiane Lima disse:

    Oi, Laryssa!
    Confesso que achei bem confusa a trama de Lembra Aquela Vez, acho que é por que há muitos personagens na história, algo que eu não gosto nos livros… por isso não fiquei interessada em conhecer a história de Aaron… Mas eu amei a capa, principalmente a foto no início da postagem!
    Abraços.

  2. Mariana Paiva disse:

    Caramba, o livro aborda muitas coisas importantes, Imagino quantas reflexões ele deve trazer. Desde que eu vi a capa do livro Lembra Aquela Vez eu achei interessante, mas não sabia direito o enredo da história até agora. O Aaron passa por muitas coisas, acho que um dos fatores do livro ser arrastado é por isso também, porque querendo ou não imagino que o Aaron vai ficando cada vez mai pesado pelas coisas que ele vai passando. Não sabia que era o primeiro livro do autor, achei a temática inteligente, acho que vou ler o livro algum dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *