Robopocalipse, Daniel H. Wilson

Um futuro próximo ou até mesmo nosso presente, porém com mais tecnologia e esta muito avançada e desenvolvida. A humanidade conseguir construir máquinas que fazem tudo por ela e aprendeu a viver sendo servida pelos robôs. As máquinas são utilizadas para serviços domésticos, substituíram os carteiros, os automóveis são computadorizados, viraram espiões e até fazem o serviço de comunicação com a população em países invadidos.

O livro escrito por Daniel H. Wilson é futurista, mas também fala nos nossos dias, é um vislumbre imaginativo de uma rebelião de máquinas. Quantos filmes não abordaram esse tema? E por falar nisso, o famoso diretor Steven Spielberg comprou os direitos de adaptação do best seller para o cinema, ou seja, vem filme apocalíptico por ai. E não será uma tarefa difícil fazer a adaptação para o cinema, já que o livro se parece muito com um roteiro de um filme cheio de ação, explosão, fugas e lutas, mas é claro que tem a pitada dramática dos personagens lutando pela sobrevivência.

Fico paralisada. Não consigo desviar os olhos e não consigo soltar o monstro que está nas minhas mãos.

No inicio, a leitura é meio confusa, não se entende bem em que caos estamos entrando, mas na décima página já temos uma dimensão da guerra montada e do cenário apocalíptico em que a humanidade está vivendo. Um dos temos mais interessantes talvez não seja a guerra entre as máquinas e os seres humanos, mas sim a proposta de união entre as raças lutando pela sobrevivência. Esquecer os ódios advindos do racismo, da xenofobia, do racismo religioso em prol da vida humana.

Os personagens que aparecem na trama são pessoas comuns que encontram em meio ao medo um instinto de sobrevivência inexplicável. E não só a própria sobrevivência, mas também a sobrevivência dos filhos, dos vizinhos e até de pessoas não conhecidas. As pessoas vão despontando em suas atividades em meio ao desespero, a guerra, pessoas que não tinham relações se encontram e dependem uma da outra, como num clássico filme apocalíptico.

Eu sei que ela é uma máquina. Mas eu a amo. E ela me ama.

    Minha opinião

Me surpreendi com a capacidade de um romance estilo Exterminador do Futuro tem de nos prender. Eu que particularmente não gosto de filmes e livros com explosões, histórias futurísticas ou coisas do gênero me encontrei presa à trama guiada pelos robôs. Uma narrativa que fará qualquer adolescente se apaixonar também. Fiquei surpresa como os personagens vão ganhando vida e humanidade ao longo do livro.

Uma das coisas impressionantes do livro é como as pessoas comuns se tornam pequenos heróis ou pequenos gênios, como cada conhecimento se torna extremamente útil nas situações difíceis, como cada intuição pode salvar uma vida ou ainda como uma história surreal contada por uma criança pode mudar o rumo da história da humanidade. Um livro surpreendente e inspirador para pensarmos sobre as relações que construímos com as pessoas que nos cercam.


 
Título: Robopocalipse (Robopocalypse)
Autor: Daniel H. Wilson
Editora: Record
Número de páginas: 405
Lançamento: 2017
Comprar (Amazon – R$ 29,61)
 
 
 
 
 

* Este livro foi enviado pela editora do mesmo. A política do blog é de sempre fazer resenhas sinceras, independentemente de como o livro chegou até nós. A opinião relatada aqui veio da experiência literária da autora do post e não sofreu nenhuma influência que não tenha sido explicitada na resenha.

* ESTA RESENHA PARTICIPA DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE DEZEMBRO *

Jordana Barbosa

Jornalista que odeia jornais. Troco amores por torresmo. Meu nome significa água que corre e é perto da água que encontro paz.

Related Posts

6 Discussion to this post

  1. Elidiane Lima disse:

    Oi, Jordana!
    Sinceramente livro futurista com guerras e explosões, como é o caso de Robopocalipse, não faz meu estilo de leitura, e quando se trata do gênero ficção científica prefiro assistir em vez de ler algo sobre esse gênero, por isso fiquei mais interessada na adaptação que Steven Spielberg irá fazer do livro, espero que não demore muito a sair nos cinemas…
    Abraços, e Feliz Natal a você e a todo o pessoal do blog!

    • Jordana Barbosa disse:

      Elidiane minha expectativa pelo filme ta grande, vamos torcer juntas pra não demorar =)
      Feliz ano novo =D

  2. Lili Aragão disse:

    Oi Jordana, gostei da resenha e fiquei feliz que o livro pode ser adaptado logo logo, a trama tem mesmo cara de filme e iniciei a leitura da resenha já pensando em A.I. e Eu robô rsrs. Gostei de saber que o livro é envolvente e mesmo cheio de correria e explosões o leitor consegue se conectar com a história. Espero ter a oportunidade de lê-lo antes do filme ser lançado 😉

    • Jordana Barbosa disse:

      Eu também tive essas associações enquanto lia, impossível a gente não pensar tbm no Exterminador do futuro.

  3. MENTIRA ❤️
    Eu vi essa foto no Instagram e achei demais, acho que até comentei nela ontem HAHA

    Que coincidência incrível! Eu sou fã dos dois primeiros filmes do Exterminador do Futuro, então, acho que vou dar uma chance para esse livro também. AHHHHHH, olha a Isabela ali ❤️

    Beijos
    Supimpa Girl

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *