A Mulher Na Cabine 10, Ruth Ware

Ruth Ware nos apresenta a jornalista de turismo Lo Blacklock, que está desiludida, acredita que a revista em que trabalha há dez anos, Velocity, é o ponto alto da carreira e seu limite. Em meio a sua falta de perspectiva ela foi escalada para cobrir a viagem inaugural do Aurora Boreal. Um cruzeiro hiper luxuoso de duração de uma semana. Agora sim. Parece uma ótima oportunidade para voltar a crescer na carreira e ser promovida. É. Só parece.

Dias antes sofrera um trauma que a tinha deixado paranoica. Com insônia, e recorria à bebida para conseguir dormir. Em uma noite, ela vê um corpo ser jogado ao mar da cabine vizinha à sua. Na lista exclusiva de Lord Bullmer, o dono do navio, não existem registros de passageiros na cabine ao lado. Lo não tem provas de que testemunhara um crime. Ela agora precisa juntar as provas para que as pessoas possam acreditar nela.

E pensei: há um assassino nesse navio. E a única pessoa que sabe sou eu.

Minha Opinião

O livro começa com uma sequência de ação explicativa de seus traumas, mas a cadência é mais lenta a partir daí. Pelas comparações com Agatha Christie minhas expectativas aumentaram trazendo para o livro um peso que não precisava. Me conectei pela personagem pois tenho um trauma parecido. Haha! Já levei um tiro em uma tentativa de assalto e sei como é se sentir dessa maneira. Me tornei um pouco paranoico mas não alcoólatra ou tive insônia. A neura de presenciar um crime, falar para as pessoas e não conseguir provar que está falando a verdade sempre me pega também.

A ideia de bater papo, ou de comer a comida servida por alguém que podia ter matado uma mulher ontem à noite… essa ideia era aterradora e totalmente surreal.

Eu gosto de livros policiais como esse (para mim esse livro é mais policial que de suspense), mas eu fiquei com a sensação de já ter lido essa história. Não sei se pela comparação com Agatha Christie, uma vez que a obra tem o plot parecido com o de “Assassinato no Expresso do Oriente“, ou se pela quantidade de livros policiais que já li. Por ser um dos gêneros que mais me atraem é também o mais fácil de consumir pra mim. Já que a história, normalmente, é bem simples. E é aí que tá. Não existe necessidade de esse enredo levar tantas páginas com ele. A voz em primeira pessoa ajudou a diminuir o passo dos acontecimentos. E isso me quebra. Me tira da história. Me faz querer ver um episódio de “Friends” no Netflix. Tirando essa ressalva eu acho que para um leitor que gosta de novelas policiais, e ainda conta com um repertório pequeno em sua estante, esse livro pode ser interessante.

Conclusão

A entrega do final do livro não é surpreendente mas é satisfatória. Não me surpreendeu mas também não zoou com a minha cara. No fim é bem escrito, leva em consideração a estrutura policial. Deixa o suspense mais intacto e me faz conectar com a personagem e seus problemas pessoais. É isso. Deixe suas impressões nos comentários ou me enche lá no twitter. 🙂

A mulher na cabine 10
 
Título: A Mulher Na Cabine 10
Autor: Ruth Ware
Editora: Rocco
Número de páginas: 320
Lançamento: 2017
Comprar Amazon – R$ 29,40
 
 
 

AWTR ASSINATURA PARA BLOG3

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *