O Clube de Escrita de Jane Austen, Rebecca Smith

Jane Austen, Romance, Rebecca Smith, Orgulho e Preconceito, Razão e Sensibilidade, Emma

O Clube de Escrita de Jane Austen é um guia de escrita para os aspirantes a escritores. Rebecca Smith é uma parente distante de Jane, e passou um tempo como escritora residente na Casa-Museu de Jane Austen. Lá, ela teve acesso a atmosfera, a materiais como cartas e manuscritos, e a oportunidade de reler romances como Orgulho e Preconceito e Emma com uma nova ótica. Munida disso e de sua própria experiência enquanto autora, Rebecca escreve uma série de dicas e conselhos que são exemplificados com passagens dos livros de Austen.

O livro é dividido em seções, farei um breve comentário sobre cada uma delas:

Jane Austen, Romance, Rebecca Smith, Orgulho e Preconceito, Razão e Sensibilidade, Emma

Plano de um romance

Rebecca dá ideias de como estruturar o romance, falando sobre conhecer o que se escreve, dosar bem o tipo de informações que decide passar para seu leitor e formar bem a personalidade de seus personagens. Aqui ela também dá dicas do que acha interessante deixar de fora do romance, coisas que podem não interessar o leitor.

Personagens intricados são os mais divertidos

Um capítulo inteiro sobre a apresentação e o desenvolvimento dos seus personagens, sejam eles principais ou secundários, mas sempre pensando no valor e importância que eles devem ter na história. Basicamente só se adiciona na trama pessoas e situações que servem a um propósito, do contrário, não dá muito sentido ali. As pessoas devem ser verossímeis, assim como toda a história, então Rebecca chama a atenção sobre a presença de personagens crianças, animais, comportamentos mais diversos e como fazer tudo isso funcionar a seu favor.

Construindo o vilarejo de sua história

Sobre o exercício de criar um mundo, ou usar algo que bem conheça, para que as localizações façam sentido com o que está sendo dito nas cenas. Os espaços públicos e privados são muito importantes e devem trabalhar junto com os personagens.

Um belo par de olhos

É sobre os pontos de vistas dentro da história, a forma como a narração estabelece o clima das cenas, os pontos de vistas mostrando o que o personagem principal vê e como ele e o mundo é visto, com aproximação ou distanciamento. Há aqui também comparações e incitações para se perceber como as pessoas ao seu redor falam e entender o toque de realidade.

Leve, vivo e brilhante

Sobre a arte de escrever diálogos interessantes e espirituosos, sobre passar bem a mensagem pelas falas ou deixar mistérios por meio delas, ou por meio das expressões corporais que também dizem muito. Rebecca fala sobre as vozes dos personagens e sobre o cuidado que devemos ter em diferenciá-las.

Segredos e suspense

Mais uma vez, diz mais sobre como as histórias devem ter apego a realidade (no caso do gênero romance, claro). As informações devem ser bem medidas e as heroínas e heróis devem ter um ar de ser alguém próximo a realidade, os personagens funcionando em conjunto como é a trama da vida mesmo. Leitores costumam questionar o que não parece certo por suas experiências, e é importante que o escritor sempre questione tudo antecedendo isso. Na drama, algo deve ser solucionado, evoluindo até um fim (seja ele feliz ou não).

Na bolsa de Jane Austen

Um capítulo analisando técnicas conhecidas nos livros de Jane. As temáticas e a vida naquele tempo poderia até ser restrita, mas Jane Austen conseguia ser criativa nos usos das palavras e criar romances com personagens importantes muito diversos entre si.

“E o que são oitenta quilômetros de estrada boa?”

Viagens são extremamente úteis para escritores. Ao mandar seus personagens em viagens, você pode fazer coisas acontecerem de maneiras interessantes e verossímeis.

Rebecca fala que nas histórias há sempre alguém chegando ou indo embora, e que isso é importante para o andamento das coisas. O que me lembra um pouco o Mito do Herói, e como muitas histórias seguem essa ideia de viagem para o crescimento do personagem.

“Você sabe como é interessante a compra de um pão de ló para mim”

A relação da comida dentro da sociedade, e como as refeições tem um caráter social. Com ela é possível estabelecer uma série de informações, como a classe social, o lugar onde a história se passa, o tempo em que a história anda e a época do ano demarcada.

Pernis de carneiro e doses de ruibarbo

Sobre escrever, reescrever e ser realista sobre o processo criativo. Ler e ler sempre mais, como parte do preparo para a escrita, estar sempre atento, sempre vigilante ao material que a vida dá, e andar com um caderno (ou o que for melhor para anotar as ideias que surgem), você nunca sabe quando pensamentos brilhantes virão a sua mente. Ela também fala sobre escrever, ainda que sem vontade, mas sempre experimentar, e que isso nunca é desperdiçado e que é importante ter um lugar que julgue confortável e inspirador para trabalhar.

Minha opinião

Mais um livro que solicitei sem saber muito sobre ele, mas um livro que me surpreendeu. Achei interessante, a princípio, por ser sobre Jane Austen e foi isso que me levou a solicitá-lo. Eu esperava uma pegada bem mais relacionada a um romance com pano de fundo na escrita, mas achei ainda mais divertido a proposta da Rebecca.

O Clube de Escrita de Jane Austen serve bem como livro de consulta, aquele que está sempre ao seu lado para leituras enquanto está escrevendo. Rebecca teve um trabalho minucioso sobre os aspectos da produção literária de Jane e como podemos aprender com ela. Rebecca, em cada capítulo, traz exemplos e propõe exercícios de escrita com o intuito de nos fazer desenvolver nossa capacidade, as histórias e os personagens que impulsionam os fatos. Tento escrever aqui e ali, e para mim foi importante ter reflexões sobre a forma como a escrita funciona em minha vida e até a refletir como os autores que admiro também devem passar por isso.

A Rebecca diz algo muito importante. O livro tem o foco de trazer inspirações para o gênero romance, que muitas vezes é desmerecido por parecer fútil e sem importância. A própria Jane diz que mesmo os escritores do gênero tendem a dizer coisas como “só um romance” e impulsionar essa visão que se tem. Eu tenho um pouco disso, adoro romance, adoro as temáticas, mas às vezes parece que eu mesma os escondo por conta dos meus próprios preconceitos literários. Temos que mudar isso, tempos que mudar nossa ideia de que não há nada de errado com os mais diversos gêneros ou subgêneros literários, nós só somos ou não o público para eles.


 
Título: O Clube de Escrita de Jane Austen (The Jane Austen Writers’ Club)
Autor: Rebecca Smith
Editora: Bertrand Brasil (Grupo Editorial Record)
Número de páginas: 294
Lançamento: 2017
Comprar (R$ 29,90)
 
 
 
 

* Este livro foi enviado pela editora do mesmo. A política do blog é de sempre fazer resenhas sinceras, independentemente de como o livro chegou até nós. A opinião relatada aqui veio da experiência literária da autora do post e não sofreu nenhuma influência que não tenha sido explicitada na resenha.

* ESTA RESENHA PARTICIPA DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE FEVEREIRO *

Related Posts

14 Discussion to this post

  1. Olá!
    Eu comprei esse livro no final do ano e estou aguardando para lê-lo, pois preciso de ideias e dicas de como continuar escrevendo, pois tenho dois esboços de livros em andamento e estão parados há muito tempo. Espero começar logo a leitura e os exercícios! Amei a sua resenha!
    Grande abraço!
    Drica.

    • Laryssa Tavares disse:

      Olá, Adriana
      é uma ótima forma de tirar as ideias da gaveta. Esse livro tem uma série de exercícios que te ajudam a colocar sua história em diversos pontos que você não havia pensado.
      Beijos e obrigada!

  2. Laryssa!
    Bom ver que a autora usou todos seus conhecimentos para ensinar técnicas de escrita par o leitor.
    Acredito que o fato de não ter gostado muito da forma como a autora conduziu o livro, deve-se a grande expectativa a tudo que se relaciona ao mundo da fantástica Jane Austin e aqui, além das discussões, ele mostra a vida de cada personagem e como melhoraram após o grupo.
    “Quer você acredite que consiga fazer uma coisa ou não, você está certo.” (Henry Ford)
    cheirinhos
    Rudy

    • Laryssa Tavares disse:

      Rudynalva,
      a autora dá muitas dicas mesmo do que fazer com o andamento da história e com nossos personagens, bem legal.
      Beijos.

  3. Adriana Holanda Tavares disse:

    O Clube de Escrita de Jane Austen parece ser um bom livro que contém diversas dicas sobre como escrever uma história de forma um pouco superficial. Acho que para aqueles leitores que estavam esperando algo mais aprofundado ou que já tem certo conhecimento sobre a temática, essa obra pode ter sido um pouco frustrante.
    Para os fãs da autora deve ser bom conhecer um pouco mais sobre seu processo de escrita. Quero demais ler

    • Laryssa Tavares disse:

      Oi Adriana, acho que a proposta é dar dicas por cima, não ser necessariamente um livro teórico sobre escrita. Nunca li nada mais no hábito profissional, só essas dicas aqui e ali mesmo. Acho que o livro se propõe a não ser aprofundado mesmo, então imagino que é bem sucedido nisso.
      Um abraço!

  4. flaviacoral disse:

    Gostei bastante da premissa do livro e gostaria de lê-lo em breve, mas só após eu ler algo de Jane Austen, pois ainda não li nenhum livro da autora, apesar de se tratar de romance de época algo que eu gosto muito ainda não tive coragem de ler.

    • Laryssa Tavares disse:

      Oi Flavia, eu li apenas “Orgulho e Preconceito”, algumas coisas realmente eu senti que precisava de mais informação de minha parte da escrita de Jane, mas acredito que consegui aproveitar bem porque a Rebecca traz partes do livros a que se refere, sabe?

  5. Samantha Correa disse:

    Acho a capa desse livro tão linda, tão fofa. Seria um livro que não teria muita serventia para mim pois não pretendo escrever uma história ou nada parecido, mas acho que o leria apenas por ser algo relacionada a Jane, adoro as histórias dela.
    E mesmo que tenha apenas algumas partes dela já é algo que nos leva mais perto da autora e das suas histórias. E não entendo como alguém pode dizer “só um romance” romances são vida, e nos fazem sonhar, não existem livros melhores.

    • Laryssa Tavares disse:

      Samantha, se você gosta da Jane, acho que o livro também faz sentido pra você como análise das obras dela. Algumas informações tanto da escrita como de parte pessoal que podem te fazer entender até mais do que Jane escrevia. Achei bem interessante. Eu AMO romance!

  6. Catherine Torres disse:

    Achei interessante a proposta do livro em criar um guia para escritores mas para mim não serve, não gosto de escrever, apesar de amar ler kkk
    Tenho vontade de ler “Orgulho e Preconceito” mas ainda não tive a oportunidade.
    A capa deste livro é muito linda!

    • Laryssa Tavares disse:

      Oi Catherine, tudo bom? Então, eu só li “Orgulho e Preconceito”, mas amei a narrativa. Recomendo bastante.
      Capa linda mesmo!

  7. Ana Carolina Venceslau dos Santos disse:

    Eu tava muito interessada em ler esse livro desde que eu vi sobre o lançamento dele como eu adoro a Jane Austen eu fiquei muito interessada em um livro escrito como um guia de escrita dela mas eu vi que muita gente não gostou desse livro que ele decepciona em muitos pontos então eu tô bem em dúvida se leio ou não

    • Laryssa Tavares disse:

      Ana, eu fui com expectativa 0 e não sou a maior fã da Jane, gosto, mas não li muito. Eu gostei, mas não encaro como uma Bíblia da escrita. Achei que serve ao propósito dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *