Posts in Category

ficção

Em um mundo em que todos são iguais, uma garota se destaca por sair do padrão. Dahlia 16 vê seu rosto em toda multidão. Ela não tem nada de especial – é apenas uma entre as outras cinco mil garotas que foram criadas visando o bem da cidade. Ao conhecer Trigger 17, porém, tudo muda. Ele a considera interessante. Linda. Única. Isso significa que ele deve ser defeituoso. Quando Dahlia não consegue parar de pensar nele – nem resistir a procurá-lo, ainda que isso signifique quebrar as regras – ela

Quando uma autora já no subtitulo consegue encaixar tão inteligentemente um neologismo, o livro tem o dobro de chances de ser bom. Nesse caso, Diana conseguiu superar todas as expectativas em relação à isso. As cronicas contidas nesse livro são – em sua maioria – adaptações das crônicas que ela escrevia para o jornal, e todas tem uma característica em comum: a inteligência e sagacidade de Diana com as palavras, e para além, com os conteúdos.

Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Por fim, embarcam em uma jornada a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina.

Rosa é uma órfã que foi deixada em um convento por um homem misterioso com uma chave em meio aos seus panos, a única pista sobre sua origem. Somos transportados a 1914, inicio da 1ª Guerra Mundial e Rosa cresce isolada do mundo junto às freiras. Depois de quinze anos, ela precisa sair do isolamento e começar uma vida. Fluente em três idiomas e excelente musicista é contratada como preceptora (professora) de Clementina, filha do marquês de Scarfiotti, uma família da aristocracia de Florença. Depois da guerra vem a paz,

1 2 3 4 15 Page 2 of 15