In2018, autores, Bertrand Brasil, drama, literatura, resenha, romance

Dando um tempo, Marian Keyes

Amy e Hugh viviam um casamento estável e feliz – dentro dos padrões de um casamento. Até Hugh dizer que precisava de um tempo, um tempo dela, do casamento. Ele iria passar seis meses viajando sozinho pelo Sudeste Asiático e estaria livre para fazer o que desejasse e, com quem desejasse. Amy tinha certeza que já havia passado por todos os problemas relacionados a homens, mas a decisão de seu marido a deixa em estado de choque.

Quero me afastar, mas os braços dele estão firmes contra as minhas costas e, presa em seu campo magnético, tudo que posso fazer é encará-lo.

Hugh em poucos meses perde o pai e um amigo, o que desencadeia uma crise de meia-idade. Amy não sabe o que fazer, ela pode impedir ou fazer Hugh mudar de ideia? Hugh está determinado e parece que nada fará ele mudar de ideia, mas ele promete que voltará. Seis meses é muito tempo, será que Hugh continuará o mesmo, será que Amy continuará a mesma, será que os dois conseguiram voltar a vida normal depois que Hugh voltar, se ele voltar? 

Um best sellers da escritora irlandesa mais famosa no mundo da literatura, Marian Keyes. Ela também escreveu Melancia, Sushi e a Mulher que roubou minha vida. Famosa por seus romances que já foram traduzidos para 22 idiomas e vendidos mais de 32 milhões de exemplares. Marian coloca um pouco de sua vida nas paginas dos seus livros, homenageia pessoas queridas dando seus nomes às personagens. Seus livros exploram o universo feminino com leveza e humor, temos polêmicos são colocados como ápices das narrativas de forma que o leitor se identifique e tome para si a história.

Minha opinião

Relacionamentos são complexos, relação estável é um mistério e Keyes descortina o mito do felizes para sempre de forma honesta e sem estardalhaço. O romance Dado um tempo é simples, sem grandes reviravoltas, momentos até previsíveis, porém é um livro sobre a vida de qualquer casal, é sobre a vida cotidiana e previsível que todas as pessoas do mundo levam no dia a dia. Inclua até um digital influencer neste romance, um dos aspectos dele ser extremamente atual.

Ela fala isso com firmeza, e, sim, parece mesmo ser verdade – aguentei o tranco quando Richie foi embora, aguentei o tranco de todas as palhaçadas dele com Neeve, aguentei o tranco da adolescência dela, que pareceu inspirada em O exorcista, aguentei o tranco de duas demissões catastróficas, uma em Londres, muito tempo atrás, e outra mais recente em Dublin

Outro aspecto positivo é a normatização de relações afetivas que estão fora do padrão heteronormativo. Famílias formadas por homens, várias crianças adotadas, idosas que decidem se divertir e fazer “loucuras”, mulheres que criam filhos sozinhas, mulheres independentes e ainda a polemica sobre o aborto. A literatura tem um papel importante na construção de uma mentalidade, na criação de espelhos para a sociedade, na criação de identidades e tratar todas as polemicas, que o conservadorismo exclui, como algo comum e cotidiano – porque é – é importante para pensarmos em uma sociedade livre. 

Título: Dando um tempo (The break)
Autor: Marian Keyes
Editora: Bertrand Brasil
Número de páginas: 586
Lançamento: 2018
Comprar (R$ 36,96)

* Este livro foi enviado pela editora do mesmo. A política do blog é de sempre fazer resenhas sinceras, independentemente de como o livro chegou até nós. A opinião relatada aqui veio da experiência literária da autora do post e não sofreu nenhuma influência que não tenha sido explicitada na resenha.

* ESTA RESENHA PARTICIPA DO TOP COMENTARISTA DO MÊS DE DEZEMBRO*

0

You may also like

Leave a Reply